Sete discos lembram os cem anos de Ary Barroso

O centenário de nascimento de Ary Barroso foi em novembro, mas as comemorações e homenagens continuam. A EMI-Odeon está lançando um CD duplo com gravações de cantores e cantoras da época de ouro da música brasileira, além de interpretações do próprio Ary, ao piano. E o selo Revivendo põe no mercado duas caixas, cada qual com três CDs, incluindo seis versões da famigerada Aquarela do Brasil.O pacote da Revivendo soma 138 faixas. Embora inclua jóias e composições conhecidas - Risque, Isto aqui o que É?, Como ´Vaes´ Você?, Rio de Janeiro, Pra Machucar Meu Coração, É Luxo só - o grosso é o lado mais obscuro do compositor. É o caso das raridades Duro com Duro, samba lançado por João Petra em 1964, e das parcerias com Lamartine Babo E o Samba Continua..., gravada por Almirante, e Palmeira Triste, por Elisa Coelho. A primeira faixa de cada CD traz gravações raras de locuções de Ary Barroso no rádio, sempre divertidas. Entre elas, a história da gaita inspiradora da marchinha carnavalesca que se tornou prefixo dos programas esportivos da Rádio Tupi, do Rio, da qual Ary foi contratado a partir de 1939. Além do habitual cuidado com a ficha técnica, as datas das gravações, dados biográficos e curiosidades sobre algumas composições, os encartes trazem mais histórias envolvendo Ary com o futebol.Já o lançamento da EMI traz oito faixas do primeiro disco gravado no Brasil por Ary Barroso, em 1957. Tem um tom intimista incomum para época. Ary fala de cada música, mas antes avisa que sua voz e seu piano não se comparam aos dos cantores e instrumentistas que interpretavam sua obra. Este registro autobiográfico consta do segundo CD do pacote. O primeiro reserva quase que só gravações originais, com cantores e cantoras da época de ouro da música brasileira: Ângela Maria (Na Baixa do Sapateiro), Dalva de Oliveira (Rio de Janeiro e Folha Morta), Dircinha Batista (Na Batucada da Vida), Elizeth Cardoso (É Luxo Só). E não poderia faltar Carmem Miranda, grande amiga e intérprete de Ary, que o levou para os Estados Unidos e influenciou sua carreira na terra do Tio Sam. Ela canta No Tabuleiro da Baiana, Eu Dei... (a música mais tocada de 1937, quando foi lançada) e Como Vaes Você?.

Agencia Estado,

20 de abril de 2004 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.