Sérgio Dias leva Mutantes a Londres

Quase trinta anos depois do fim oficial dos Mutantes, o guitarrista Sérgio Dias se diz lisonjeado com o reconhecimento tardio que sua antiga banda vem recebendo, especialmente no exterior. "É como se fosse um filho. Você o cria, passa por vários problemas e muitos anos depois você vê ele se dando bem, é um grande orgulho", diz o guitarrista que se apresenta pela primeira vez em Londres, acompanhado pela banda Jets na casa noturna Guanabara, nesta quarta-feira."É fantástico receber um e-mail do Sean Lennon, por exemplo, e ele perguntar quem me influenciou e dizer que é fantástico que eu possa tocar guitarra desta maneira. Eu respondi que, entre outros, quem me influenciou foi o pai dele", diz Sérgio, se referindo a John Lennon.Entre os fãs confessos da banda estão o líder dos Talking Head, David Byrne, e Beck. O ex-Nirvana Kurt Cobain era outro que se dizia inspirado pela iconoclastia sonora que permeou o som da banda paulistana."Os Mutantes foram um marco na música internacional. Infelizmente no Brasil, nossos discos estão fora de catálogo", diz ele. "Temos que recorrer ao camelô amigo. Outro dia parei na Rua Teodoro Sampaio (São Paulo) e vi numa banquinha todos os discos dos Mutantes. Disse para o vendedor, brincando, que tinha ido recolher os direitos autorais. Ele demorou uns 30 segundos para entender o que estava acontecendo. Depois autografei os discos para ele."Embora a maioria das músicas que ele pretenda tocar em Londres sejam do seu ex-grupo, Sérgio reforça que esta é uma apresentação solo. "É super legal poder tocar essas músicas, mas não é Mutantes."A banda foi formada em 1965 por Rita Lee, Sérgio Dias e Arnaldo Baptista. Rita Lee foi a primeira integrante da formação original a deixar os Mutantes, no início dos anos 1970. Sobre uma possível volta da banda, o guitarrista diz que para ele "bastaria um telefonema". "Mas não depende de mim. Não sei qual a posição da Rita. Não estamos mais em contato, ela parou de responder meus e-mails."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.