Estadão
Estadão

Sepultura faz 30 anos, veja momentos marcantes da carreira da banda

Influência, troca de integrantes e curiosidades sobre o grupo brasileiro mais conhecido no exterior

O Estado de S. Paulo

11 de fevereiro de 2015 | 13h38

Com 13 discos na bagagem e álbuns clássicos do rock pesado como Arise, Chaos A.D. e Roots, o Sepultura fez 30 anos no último mês de dezembro. Desde o início da banda, a troca de integrantes fez parte da dinâmica, Andreas Kisser entrou para consolidar a formação clássica que rodou o mundo. Max Cavalera, que tocava guitarra antes da saída de Wagner Lamounier, se concentrou em criar um dos vocais mais potentes do metal.

De lá para cá, eles ainda trocaram de vocalista, com a função de urrar no microfone passando para Derrick Green, e duas vezes de baterista. Além do som pesadíssimo, eles são conhecidos pela experimentação.O último disco deles é The Mediator Between Head and Hands Must Be the Heart, que traz um cover de Chico Science e Nação Zumbi, Da Lama ao Caos. Confira a evolução das diversas formações e curiosidades sobre a banda:

Tudo o que sabemos sobre:
Sepultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.