REUTERS/Suzanne Plunkett
REUTERS/Suzanne Plunkett

Seal é investigado por agressão sexual, afirma site

Cantor chegou a divulgar fotos de Oprah Winfrey com Harvey Weistein e chamou apresentadora de hipócrita

O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2018 | 18h35

Uma agressão sexual feita contra o cantor Seal está sendo investigada pela polícia de Los Angeles. Segundo a atriz Tracey Birdsall, Seal tentou beijá-la a força, além de apalpar seus seios. O cantor, no entanto, nega as acusações. As informações são do site TMZ. 

De acordo com os relatos de Tracey Birdsall, os dois se tornaram amigos em 2016, quando moravam próximos. Ela conta que resolveu levar a acusação à polícia quando viu os comentários do cantor encorajando mulheres a compartilharem histórias de assédio sexual.

+++ Seal divulga fotos de Oprah Winfrey com Harvey Weistein e chama apresentadora de hipócrita

Uma fonte não identificada do TMZ no departamento de polícia confirma que uma denúncia foi feita no último sábado, 13, e que está sendo investigada. O representante de Seal afirma que Seal "nega veementemente as alegações recentes feitas contra ele por uma antiga vizinha".

+++ Rock in Rio: Seal embala 'dia de shopping center' do festival​

Polêmica. O cantor Seal colocou mais combustível em uma das já mais inflamáveis polêmicas da história do showbiz americano. Além de  chamar a apresentadora e possível presidenciável dos Estados Unidos, Oprah Winfrey, de hipócrita, Seal postou em suas redes imagens de Oprah posando em situações carinhosas ao lado do produtor Harvey Weistein, o homem que deflagrou toda a crise relacionada a atitudes de machismo e assédio sexual nos Estados Unidos.

Oprah aparece em duas fotos com Harvey. Em uma delas, dá um beijo no rosto do produtor. A frase que acompanha as imagens é forte: "Quando você é parte do problema durante décadas mas, de repente, acha que é a solução."  Seal foi além, dizendo: "você sabia dos rumores, mas não tinha ideia de que ele assediava jovens atrizes, que, por sua vez, não sabiam no que estavam se metendo."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.