Christophe Ena/AP
Christophe Ena/AP

Saxofonista Manu Dibango morre aos 86 anos vítima do coronavírus

O autor de 'Soul Makossa' estava internado em um hospital na França poucos e morreu poucos dias depois de contrair o coronavírus

Redação, AFP

24 de março de 2020 | 07h49

O célebre saxofonista camaronês Manu Dibango, um astro do jazz, morreu nesta terça-feira, 24, aos 86 anos, poucos dias depois de contrair o novo coronavírus, informaram pessoas próximas ao artista.

O compositor de Soul Makossa, uma das músicas mais famosas dos anos 70, é o primeiro artista que morre devido à COVID-19.

"Morreu durante a madrugada, em um hospital da região de Paris", declarou à AFP Thierry Durepaire, representante e gerente das obras musicais do artista. O funeral será uma cerimônia íntima e uma homenagem será organizada posteriormente, quando possível, afirma a página do músico no Facebook.

Soul Makossa, a música que o tornou famoso em todo o planeta, foi resgatada por DJs de Nova York de um álbum anódino lançado por ocasião de um campeonato de futebol africano.

Posteriormente, Manu Dibango acusou Michael Jackson de plágio no álbum Thriller. Os dois artistas chegaram a um acordo financeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.