São Paulo revê nesta sexta o som de Little Louie Vega

Favor não confundir com Lou Bega,alemão truqueiro, autor da infame Mambo nº 5. Little LouieVega é um legítimo latino nova-iorquino, conhecido por sermetade do Masters at Work, duo que estabeleceu novos limitespara a house nos anos 90. Vega também é um exímio DJ, daquelesque passa 2/3 do ano pulando entre continentes, cujotrabalho-solo como produtor é reconhecido também pela indústria,pois detém um prêmio Grammy de melhor remix, ganho em 2005, porum de Superfly, tema clássico de Curtis Mayfield. Louie Vega apresenta-se nesta sexta-feira, 20, no domo do maxiclubePacha, 13 anos depois de causar comoção em São Paulo. "Eu melembro de tocar em um festival, em uma tenda com 10 mil pessoas- a energia era incrível", relembra. Na época, ele também tocouna Sound Factory, de Pinheiros. "Existem pessoas com um ritmoincrível no Brasil, amo isso!". Ritmo, aliás, é uma das especialidades de Vega.Descendente de um saxofonista de jazz e de música latina,sobrinho de um cantor de salsa, as produções dele ficaram aindamais percussivas nos últimos quatro anos, quando passou a sededicar ao próprio selo. Nesta vinda a São Paulo, Vega tem oacompanhamento da mulher, a cantora Anane, que também participado longo set de Vega, tendo o percussionista Luisito Quintero atiracolo. Ambos são artistas lançados por ele na Vega Records. "O selo é sobre música boa e de qualidade, seja elaorgânica e cheia ou minimal e funky", diz, orgulhoso. "Nós temosdesenvolvido novos artistas e construído um bom catálogo. Jáultrapassamos os 50 lançamentos e estamos no quarto álbum. Odisco de Anane, Selections, sai neste verão. Temosexcursionado nos últimos três anos para construir um públicopara nossos artistas em todo o mundo."Velha-guarda da house Apesar de concentrar esforços no próprio selo, Vegainforma que ele e o parceiro Kenny Dope estão trabalhando juntos. "Acabamos de remixar Love & Happinness (NR.: lançada sob onome River Ocean) e estamos produzindo uma música nova com acantora Barbara Tucker, ambas para o selo Strictly Rhythm",revela. "Também estamos preparando um CD mixado duplo do Mastersat Work e faremos turnê com ele. Além disso, estamos remixandofaixas antigas e temos um novo projeto para o próximo ano." Louie Vega é um representante da velha-guarda da house ebastião do estilo nova-iorquino - mais percussivo (por causa daforte influência porto-riquenha), menos sintetizado e maisconectado à herança do jazz, do soul, do funk e da disco music.Como DJ, ele costuma ser imprevisível na mistura de ritmos, masespere muita batucada. Goste ou não, Vega tem crédito. "Nos anos 90, eu fazia uma festa em Nova York no SoundFactory Bar, às quartas-feiras. Tínhamos o melhor da indústriamusical misturado aos verdadeiros houseiros. Dançarinos,cantores, executivos de gravadoras, atores, todo tipo de gentesaindo junto e gostando de nossa música", relembra. Soa comofesta boa. Motivo pelo qual dá para esperar pelo menos um poucodesse espírito no set desta sexta. Little Louie Vega. Pacha. Rua Mergenthaler, 829, tel.11-2189-3700. Hoje, às 23 h. R$ 70 (M) e R$ 140 (H)

Agencia Estado,

20 de abril de 2007 | 12h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.