Santana toca em Lima 35 anos após ter sido expulso do Peru

O guitarrista mexicano Carlos Santana se apresenta hoje em Lima, 35 anos após seu show ter sido cancelado no Peru, durante o regime militar de Juan Velasco Alvarado.Depois de tocar em Porto Alegre, São Paulo e na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, Santana se apresentará no Estádio Monumental de Lima, onde se espera que faça um show inesquecível, sobretudo para aqueles que não puderam vê-lo no Peru em 1971.A desculpa para o cancelamento do show de Santana dada foi que um grupo de jovens comunistas pretendia atentar contra ele, como relatou o próprio cantor na segunda-feira, em Lima, mas muitos acreditam que o Governo militar evitou o show para não dar mal exemplo à juventude, em um contexto em que a democracia era uma utopia na América Latina. Santana teve que retornar ao avião pouco após pisar em território peruano, quando surgiu nas escadas do aparelho sem camisa e com uma longa cabeleira.O intérprete de Black Magic Woman, hoje um amante da espiritualidade e da mística, era naquela época um rebelde associado a "sexo, drogas e rock and roll", o que deve ter causado mal-estar entre as autoridades peruanas.Santana, de 58 anos, defensor da justiça social e da paz, retornou à capital peruana para responder a seu fiel público.O país que o expulsou agora o homenageia com a entrega das chaves da cidade de Lima pelas mãos do prefeito Luis Castañeda Lossio, que declarou Santana "Hóspede Distinto".O guitarrista encerra em Lima a viagem latino-americana de sua turnê All That I Am.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.