Sandy e Júnior ensaiam carreira internacional

O Brasil ficou pequeno para Sandy eJúnior. Prestes a deixar a adolescência (ela completou 19 anos eele, 18), eles ensaiam carreira internacional, amparados emgrande esquema da matriz de sua gravadora, a inglesa Universal,e no 1,5 milhão de discos vendidos do último álbum. Nasegunda-feira, acompanhados de seus pais, o cantor sertanejoXororó e Noeli, eles falaram com a imprensa brasileira einternacional sobre os planos fora do Brasil."Em 2002, vamos divulgar o disco gravado em inglês, com opçõesde músicas em francês ou espanhol, dependendo do país onde forlançado. Em junho vamos para a Europa trabalhar rádio etelevisão, mas voltamos logo, porque temos o programa da RedeGlobo e shows agendados até o dezembro. No próximo fim desemana, estaremos no Credicard Hall, em São Paulo, com casacheia, graças a Deus", adiantou Júnior. "Se der certo, em 2003faremos shows na Europa e, só depois, nos Estados Unidos."O CD internacional leva o nome da dupla e sai aqui em 5 de junhoe, lá fora, daqui a um mês e meio. Foi gravado entre Los Angelese Miami, só com nomes do primeiro time dos estúdiosnorte-americanos, que já produziram Madonna, Celine Dion,Michael Jackson e Bryan Adams, conforme material distribuído àimprensa. A primeira música a ser trabalhada é Love NeverFails, teve clipe gravado em Miami, já foi mandada paraemissoras de rádio européias e está no show atual. Mas orepertório brasileiro da dupla ficou de fora do discointernacional."Se a carreira é internacional, a música é diferente. Lá foraestão nos comparando com os Carpenters porque eles eram irmãos ea música, pop rock", explicou Sandy. "O fato de ser uma duplabrasileira cantando dá o toque nacional. Aliás, acho que emalgumas músicas estamos mais brasileiros que nos discos daqui.Tem até um certo jeito de bossa nova."O gerente da carreira internacional da dupla, o inglês RichardOgden, planeja transformá-los em estrelas internacionais numprazo de, no mínimo dois anos, mas não diz quais as expectativasda gravadora para a dupla. "Eles vão vender muito", prometeu."É difícil prever quanto, porque serão lançados em paísesdiferentes, como Inglaterra, França, Portugal e também na AméricaLatina."Júnior contou que o convite para lançar disco fora do Brasilveio há dois anos, quando faziam o show Quatro Estações."Temos consciência de que vamos começar do zero e foi bomamadurecer esse projeto internacional. Trabalharemos dobrado,mas gostamos do que fazemos", completou Sandy. "Por enquanto,só temos uma certeza: a carreira internacional vai somar e nãodiminuir nossa presença no Brasil."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.