Sandy cresceu. E não é mais ´santinha´

Assim como Wanessa Camargo, Sandy também está entrando em uma nova fase profissional. Aos 23 anos, cabelos num tom ruivo, com roupas mais ousadas, muito maquiada, ela lançou, neste mês o 15.° disco da carreira, ao lado do irmão Júnior, de quem ela diz que não vai se separar artisticamente. Sandy e Júnior agora querem cantar para um público de faixa etária maior. "Nossos fãs cresceram. A média de idade do público em nossos shows gira em torno de vinte e pouco anos", disse Sandy. Um fato que deixaria qualquer um de queixo caído é imaginar que a dupla já toca junta há 15 anos. O novo CD tem produção do argentino Sebastian Krys, participações do rapper Taboo, do grupo Black Eyed Peas (em Nas Mãos da Sorte) e Milton Nascimento. "Eu e a Sandy curtimos muito Black Eyed Peas e achamos que o som deles se encaixaria perfeitamente no que havíamos pensado", conta Junior Lima. Uma das canções mais contundentes do CD é Discutível Perfeição, em que Sandy canta "Tô longe de ser a Madre Tereza; não pise no meu calo ou viro bicho e falo o que não quer ouvir". A cantora justifica a letra: "Ela não é direcionada para uma pessoa ou situação específica. Talvez ela sirva mais para quem ainda não havia entendido o recado: sou um ser humano como qualquer outro", desabafa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.