Sai hoje "Renato Russo Presente"

Morto em 1996, no Rio, o cantor Renato Russo, melancólico e atormentado crooner do grupo Legião Urbana, passou para a história como um dos grandes heróis trágicos do rock nacional - e solidificou seu cartel como um dos maiores vendedores de discos de toda a história do pop brasileiro. Os discos do Legião continuaram rendendo horrores e - como se faz com qualquer banda bem-sucedida, até para estimular as novas gerações a ouvir sua música - impulsionando o lançamento de novos produtos inéditos ou nem tanto. Em 2001, a EMI, gravadora oficial do grupo, lançou um show inédito de 1994, no Canecão, Como É Que se Diz Eu Te Amo, com o registro de 27 músicas e impecável acabamento industrial. Agora é a vez de Renato-solo. A mesma EMI lança hoje Renato Russo Presente, coleção de desenhos, canções, entrevistas, rascunhos, "idéias e reflexões" do cantor que temia tornar-se um messias, mas que atuava invariavelmente como um manual de orientação sentimental para adolescentes. A seleção de Renato Russo Presente, assinada pelo caçador de arquivos discográficos Marcelo Fróes, é criteriosa e precisa nas notas e apontamentos. O material também está com um som perfeito, a intenção é boa, mas o fato é que há pouca novidade no disco. Além da faixa inédita Hoje (que Renato Russo gravou com Leila Pinheiro, da qual o Estado publicou a letra no ano passado), o álbum amealha parcerias de Russo já conhecidas.Leia a matéria completa no site do Estado

Agencia Estado,

27 de março de 2003 | 10h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.