Sai CD gravado na casa de Tom Jobim

Três amigos, amantes comunsde uma mesma memória musical - o legado do compositorbrasileiro Tom Jobim -, resolveram propor-se o desafio de gravara música do seu mestre. O compositor japonês Ryuichi Sakamoto, omaestro, compositor e arranjador brasileiro Jaques Morelenbaum esua mulher, a cantora carioca Paula Morelenbaum. O resultado é o disco M2/S: Casa, que a UniversalMusic lançou quarta-feira no Rio de Janeiro. Sakamoto, que vive emNova York, gravou o disco com Paula e Jaques na casa que foi deTom Jobim, no Jardim Botânico, durante cinco dias do anopassado. Paula escolheu o repertório. "Todas as canções de Jobimsão difíceis de cantar", disse ela. "São muito claras, e vocêtem de cantar corretamente todas as notas." Segundo JaquesMorelenbaum, só há um convidado cantando: Ed Motta, na faixaImagina. "A canção pede a interpretação de um casal",lembra. "Tanto eu quanto a Paula somos apaixonados pelamusicalidade de Ed Motta", conta. Uma novidade no repertório é a introdução nunca gravadade Esperança Perdida - I Was Just One More for You, queo músico Paulo Jobim, filho de Tom, trouxe para a sessãoMorelenbaum-Sakamoto. Além de Ed Motta, há participações de Marcos Suzano(percussão), Zeca Assumpção (baixo) e Luiz Brasil (violão). Segundo Ryuichi Sakamoto, o trio deve excursionar com orepertório do álbum, "provavelmente em setembro ou outubro",pelo Brasil e também por países europeus, entre os quais Itália,Espanha e Portugal. Agência Estado - Qual é a melhor coisa de tocar a música de Jobim? Ryuichi Sakamoto - Bem, para muitos produtores, a melhorcoisa é que é uma música romântica, extremamente sofisticada,com ritmo e alto nível de qualidade. Mas não é fácil tocar Jobim principalmente porque Tom Jobim tocava ele mesmo suascomposições. Ninguém poderia tocar melhor ou igualá-lo. Foi especial gravar onde ele compôs, no cenário desua obra? Certamente é uma coisa especial tocar ali. Acasa de Jobim é como uma catedral para os músicos, um lugarsagrado. Foi um prazer tocar ali, mas ao mesmo tempo é precisotranscender essa idolatria. Vocês escolheram 16 canções de Jobim. Qual é suafavorita? Entre elas, a minha favorita é Sabiá. Amoo romantismo, a perfeição da melodia, a combinação entre linhamelódica e harmonia. Fiz o arranjo para essa música, então issoexplica também a predileção. Aprecio a relação entre Sabiá eas peças de piano de Chopin ou Schumann. Você já tinha enfrentado o palco ao lado doQuarteto Jobim-Morelenbaum. Qual a diferença entre aquela turnêe a música deste disco? A música do quarteto busca uma abordagem maisprecisa da composição de Jobim, executa a música do jeito queele a tocava. Neste álbum, procuramos algo diferente, umaleitura mais livre, tentar clarear visões pessoais. Como narelação entre Jobim e Chopin, por exemplo. Entre as linhasmelódicas e a progressão. Debussy e Chopin foram das maioresinfluências de Jobim, há similaridades que podem ser exploradasem sua obra.Serviço - M2S: Casa. De Jaques e Paula Morelenbaum e RyuichiSakamoto. Universal Music. R$ 29,00. Nas lojas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.