Sai álbum com os 30 maiores sucessos de Elvis

Você sabe por que a televisão temcensores? Você sabe por que as mulheres jogam suas calcinhas nopalco? Você sabe por que Britney toca em Las Vegas? Elvis é aexplicação. Antes de alguém fazer qualquer coisa, Elvis feztudo! Essa declaração é lida por uma voz solene no web siteElvisnumberones.com, na Internet, um dos veículos que disseminamo lançamento maciço amanhã de "Elvis: 30 #1 Hits" (RCARecords/BMG), coleção de 30 sucessos do Rei do Rock que pretendefazer frente ao megassucesso "1", dos Beatles. A partir de amanhã, Elvis está na TV, em outdoors,teasers publicitários, rádio, luminosos, numa campanha mundialde US$ 10 milhões do grupo Bertelsmann, o dono da BMG - emparceria com AOL Time Warner, Lycos e Nascar. O disco dosBeatles vendeu 8,2 milhões de exemplares há um ano, compilandoas músicas que alcançaram o primeiro lugar nas paradas durante oapogeu da banda inglesa. "Elvis: 30 #1 Hits" é a resposta. "Ele revolucionou não só a música americana, mas tambémo cinema e a moda, assim com a sexualidade, as noções de classesocial e as relações raciais", justifica a BMG, em texto noqual anuncia a coletânea definitiva de Elvis. Não é exagerada adefinição. Elvis foi um turbilhão comportamental, além doartista que mais teve singles no Top 10 (40 músicas), o queganhou mais discos de ouro e platina (139) e o que mais vendeuem todos os tempos (cerca de 1 bilhão de álbuns). As faixas do disco que chega amanhã às lojas foramremixadas e remasterizadas a partir dos master tapes originais.O encarte tem 24 páginas com fotos inéditas e comentários faixaa faixa de um dos grandes especialistas em Elvis, o escritorPeter Guralnik. O lançamento veio cercado de cuidados, como num filme deespionagem. À imprensa, para que recebesse o lançamentoantecipadamente, era exigida a assinatura do responsável em umdocumento, comprometendo-se a não reproduzir nem deixarreproduzir o disco. A própria RCA já tinha lançado um disco semelhante deElvis em 1987, The Number One Hits, com 18 faixas. A diferença éque a coletânea de 1987 trazia apenas os números 1 de Elvis naparada da Billboard. Faixas como "In the Ghetto" e "BurningLove" nunca alcançaram o topo, assim como as outras 12 doálbum. Há uma 31ª faixa no disco, que é a reapresentação deElvis Presley ao público da era da eletrônica, "A Little lessConversation", reinventada pelo remix do DJ JLX. Alguns críticos acusam a remasterização das faixas deter tirado o brilho original e ter tornado canções assépticas,caso de "A Fool Such as I. "Soa como se Elvis tivessere-regravado seus vocais", escreveu o crítico Bill Holdship naAmazon.com. "É claro, nada disso vai importar para os jovensque começaram a cantar "Hound Dog" a partir da trilha sonorade "Lilo & Stitch", ou para outros neófitos." Elvis Aaron Presley fundiu tradições que pareciamirreconciliáveis àquela altura da música popular americana: ocountry, o gospel, o r&b, o lado branco e o lado negro dacanção. Acrescentou à mistura uma dose explosiva de sensualidadee alegria, coisa que o tornou lendário. Era um ingênuo e isso também contava pontos a seu favor."Não existe nenhum outro lugar do mundo onde você pode passarde dirigir um caminhão num dia a pilotar um Cadillac no outro",dizia, dos Estados Unidos. Essa convicção no sonho americano olevou a alistar-se como exemplo, e depois também foi sua ruína,engolido pela engrenagem do show biz. O reaquecimento do "fator Elvis" tem a ver com a datado 25º aniversário de sua morte, celebrada em 25 de agosto. Asmarcas dessa efeméride começaram antes, no primeiro semestre,quando a empresa Nike gastou US$ 100 milhões para lançar umacampanha milionária, com a música do Rei do Rock ao fundo e comum filme dirigido pelo premiado Terry Gilliam. "Minha músicaatrai adolescentes porque é fortemente emocional", diziaPresley. Depois, veio o desenho Lilo & Stitch, da Disney,dirigido para crianças, cuja trilha sonora tem Elvis cantando emseis canções: uma tentativa de reapresentar sua música parapessoas que jamais a ouviram, ou que só ouviram falar nela. Ajogada foi relativamente bem-sucedida: o disco vendeu cerca de250 mil exemplares desde seu lançamento. Recentemente, o semanário inglês "New Musical Express"fez uma pesquisa online para saber qual é a melhor música deElvis Presley de todos os tempos. Deu "Suspicious Minds" nacabeça, com 24% dos votos. Em segundo lugar ficou "An AmericanTrilogy" (17%), seguida de "Can´t Help Falling in Love" (14%)e "In the Ghetto" (12%). A votação mostra que os fãs lembrammuito bem quem foi Elvis e qual é o seu legado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.