Rússia se despede do maestro e violoncelista Rostropovich

A Rússia se despediu neste domingo, 29, do violoncelista e maestro Mstislav Rostropóvich, que ganhou um túmulo no histórico cemitério Novodiévichie, próximo de onde o ex-presidente russo Boris Yeltsin, grande amigo do músico, foi enterrado nesta semana.Rostropóvich, que faleceu aos 80 anos, foi velado no templo ortodoxo Catedral de Cristo Salvador, em Moscou, reconstruída há varios anos com doações, em particular, do patrimônio do violoncelista, considerado um "cidadão do mundo".Apenas cinco pessoas puderam se aproximar da sepultura durante o enterro: sua companheira de toda vida, a soprano Galina Vishnévkaya, suas filhas Olga e Elena, a rainha Sofia, da Espanha, e Naína Yéltsina, viúva do primeiro presidente russo, Boris Yeltsin, que faleceu no último dia 23, aos 76 anos, vítima de uma parada cardíaca.Também estiveram presentes no enterro Bernadette Chirac, esposa do presidente da França, o Prêmio Nobel de Literatura Alexander Soljenitsin, o chefe de Estado do Azerbaijão, Ilham Alíev e a irmã da rainha espanhola, a princesa Irene da Grécia.Em março, Rostropovich, já enfraquecido, compareceu à comemoração de seu 80.º aniversário, no Kremlin, onde foi homenageado pelo presidente Vladimir Putin.Ele se levantou, trêmulo, e fez um breve discurso em voz fraca. "Sou o homem mais feliz do mundo", disse. "Minha família e meus colegas estão aqui comigo neste dia."Foi a primeira vez que Rostropovich apareceu em público desde fevereiro, quando foi internado num hospital de Moscou, vítima de um câncer. Na época, seu secretário disse que sua doença não era algo que pusesse sua vida em risco.Mstislav Rostropovich foi uma das figuras culturais mais amadas da Rússia. Além disso, ganhou fama em todo o mundo como defensor dos direitos civis durante a era soviética.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.