RPM está de volta

O caso Morel, o crime da mala,Coroa Brastel, o escândalo das jóias. Quem se lembra dessescasos escabrosos do noticiário? É trecho da letra de uma dasmúsicas mais cantadas dos anos 80, Alvorada Voraz, do RPM,banda que desapareceu do mapa em 1989. O fato é que alguém está tentando ressuscitar aquelesdias de correria, fama e bajulação do RPM, quando os quatromúsicos de São Paulo passavam os dias correndo das fãs, aoestilo A Hard Day´s Night. Se deu certo com o CapitalInicial, que voltou do mundo dos mortos, por que não daria com oRPM, que foi um fenômeno mais impressionante? Baseadas nessapremissa, a "MTV" e a gravadora Universal resolveram tirar daúltima gaveta do freezer aquela que foi, por um breve momento, amaior banda de rock dos anos 80. Foi na noite de ontem, no Teatro Procópio Ferreira, quecomeçou a gravação do MTV RPM 2002, ao estilo "polaroid dosanos 80", como diz o cantor da banda, Paulo Ricardo, na letrainédita Quero Mais. Não é um acústico, mas um showsuperproduzido, com os quatro RPMs - o guitarrista FernandoDeluqui, o baixista e cantor Paulo Ricardo, o tecladista LuizSchiavon e o baterista P.A. Pagni - e ainda uma seção de cordase metais. O repertório do disco ao vivo tem 19 músicas, cincodelas composições novas do grupo, e uma delas uma inédita deHerbert Vianna, dos Paralamas do Sucesso, Vem pra Mim. Elestambém cantam Exagerado, de Cazuza, com um arranjo cajun,country primitivo, no qual Paulo Ricardo toca gaita. No meio do show, com ar compungido, Paulo Ricardo divideos vocais com uma voz do além. Trata-se de uma base de vozgravada de Renato Russo, líder da Legião Urbana, que "canta"com o RPM a balada A Cruz e a Espada. Olhando hoje, sem a urgência da cobertura hard news, épossível ver que o RPM fez sucesso com uma combinação rara deboas canções pop, um certo carisma do vocalista, alguns bordõesirresistíveis. "Na madrugada, na mesa do bar, louras geladasvêm me consolar", cantava Paulo Ricardo em Louras Geladas,um dos maiores sucessos. O grupo chegou a vender 2,5 milhões de discos, fazia 250shows por ano e reunia públicos de milhares de pessoas, deManaus (AM) a São Leopoldo (RS). O tecladista Luiz Schiavonchegou a ser eleito o instrumentista do ano pela extinta revistaBizz."Só porque sou alto, bonito e gostoso não quer dizer que osucesso me subiu à cabeça", dizia Paulo Ricardo, em 1986. Elecontinua achando a mesma coisa, faz as mesmas poses, caras ebocas. Por conta disso, da boa-pinta e também de um cinismoassumido ("Eu estava careca de saber o que o público gostava") Paulo Ricardo é mais odiado que a média dos pop starsnacionais. Pela crítica e por parte do público. O fato de eleter se casado com a mais bonita das paquitas de Xuxa também deveter contribuído um pouco. Certo é que mesmo o gosto popular muda muito eum dos videoclipes pioneiros do RPM, Rádio Pirata, no qualPaulo Ricardo usa aqueles paletós brancos com ombreiras enormes,da era pré-yuppie, tornou-se cadeira cativa na lista do programaPiores Clipes da própria "MTV". Em meados dos anos 80, o líder do RPM foi ao programa deTV de Chico Buarque e Caetano Veloso na "TV Globo" e cantouLondon London sentadinho no chão, sob o olhar doce eembevecido do cantor baiano. Em meados dos anos 90, tevedificuldade para passar pelo portão VIP do Hollywood Rock, apósenfrentar a fila como qualquer mortal comum. No final da década,sentiu o bolso apertar e começou a gravar discos românticos, umdeles (O Amor me Escolheu), com uma capa na qual PauloRicardo aparecia transpassado por flechas, um São Sebastião deoportunidade. Ele acha que o que faz é rock´n´roll. Não é, mas o fatoé que o pop rock do RPM fica melhor com os quatro juntos do queas baladas românticas de Paulo Ricardo. O estilo do cantorinfluencia muito em quase todas as inéditas, mas há uma cançãonova, Rainha, que tem muito do antigo apelo do grupo e podeaté emplacar. O público presente ao Teatro Procópio Ferreira, naprimeira noite da gravação do especial, não poupou Paulo Ricardode gritinhos de "lindo" e "gostoso", mas o cantor pareceumeio incomodado com aquilo. Parece concentrado em mostrar quesua banda tinha alguma essência e que eles podem provar isso sederem uma segunda chance. Renato Russo foi muito aplaudido, quando sua voz entrouno áudio para o dueto virtual em A Cruz e a Espada. E sobrouaté uns gritos de "Romário" no meio da platéia, boa parte delaclaque orientada. Em London London, Paulo Ricardo canta acompanhadopor Schiavon (um pouco mais gordinho e sério como sempre) aopiano, mais uns violinos e um violão ao fundo. Paulo Ricardo vaiganhar essa parada? Só o futuro dirá. O disco sai no dia 10 demaio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.