Rosa Passos faz homenagem a Elis e Tom no Teatro Fecap

Há mais de dez anos Rosa Passos vemfazendo homenagens a Elis Regina (1945-1982) no bis de seusshows e sempre inclui canções de Tom Jobim (1927-1994) noroteiro. Ao lado de João Gilberto, a cantora e o compositor sãosuas maiores influências, além do jazz e da bossa. Nos dois finsde semana em que vai ficar em cartaz no Teatro Fecap, a partirde sexta-feira, Rosa mergulha mais intensamente nessashomenagens. Os motivos são os aniversários da morte de Elis (25anos na sexta-feira) e do nascimento de Tom (80 anos no dia 25).Dentro do que ela chama de "coincidências maravilhosas", vaiinterpretar canções do repertório de Elis nesta semana eclássicos de Tom na próxima. "Não quero dizer quais serão as canções do repertório deElis, as pessoas vão reconhecer na hora", diz Rosa. "Desde aprimeira vez que ouvi Elis, na adolescência, senti um impactomuito grande, pela ousadia melódica, por apostar em novoscompositores, pela forma de interpretação densa, intensa, atécnica muito natural, pela divisão rítmica, pelo jeito decantar samba. E pela modernidade de seu estilo, que estava muitoà frente das outras cantoras." Elis foi "uma escola" para Rosa, em termos de estética,dinâmica, com o mesmo peso da sutileza de João Gilberto."Consegui juntar as duas coisas e até hoje estudo tudo isso,ouvindo os dois, para filtrar e colocar da minha maneira. Ela meensinou a ter ousadia, a separar os ritmos, ter uma integraçãototal com a música e a letra." Quem ouve os CDs ou vê Rosa nopalco, sabe quanto ela honra a herança de Elis em tudo. Tom a influenciou em sua porção melodista, compositora."O tipo de música que ele compôs, as harmonias e melodias quecriou, cheias de beleza, não envelhecem nunca", diz. "Sou muitocuidadosa com o que canto e sempre componho a partir de umaletra. Não dá para compor sem se preocupar com o conteúdo. E Tomtambém foi uma influência nisso, porque tem essas duas coisasjuntas muito bem equilibradas." Por Causa de Você, Você Vai Ver, Fotografia,Águas de Março, Vivo Sonhando e Só Tinha de Ser com Vocêestão entre seus clássicos que ela vai cantar. No mais, os showsdevem privilegiar o repertório do álbum Morada do Samba (1999) que Rosa diz ter divulgado pouco. Do mais recente, o ótimoRosa (2006), entra apenas Jardim, versão em português paraJardin d?Hiver, da dupla francesa Keren Ann e Benjamin Biolay. Ao lado de Fábio Torres (piano), Paolelli (baixo), CelsoAlmeida (bateria), Vinícius Dorin (sax) e do próprio violão,Rosa também vai cantar Djavan, João Bosco, Ivan Lins ecomposições próprias em parceria com Fernando de Oliveira eSérgio Natureza. Ela ficou cinco anos sem se apresentar em SãoPaulo e voltou com tudo em 2006. Pode apostar que agora vaiarrebatar de novo. Rosa Passos. Teatro Fecap. Av. Liberdade, 532, (11) 3272-2277. De 5.ª a sáb. às 21 h., dom. Às 19 h. De hoje (18) a 21 e de 25 a 28

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.