Românticos, os Paralamas lançam novo CD

Herbert Viana vem romântico com o novo CD Hoje (da EMI), composto pelo trio que se completa com o baterista João Barone e o baixista Bi Ribeiro. "Para nós, este novo disco é um pouco mais pesado no sentidomusical, com pegada de rock, mas não tão soturno quanto o CDanterior. É mais solar, festivo", conceitua Barone, ementrevista ao Grupo Estado, na sede da gravadora EMI, no Rio.Em cada verso, Herbert reforça o tom confessional de suascomposições, traço característico em sua obra, expondo ospróprios pensamentos. "Meu destino/Não Me deixa em paz/De coração, não sei se posso amar/Amei tanto há tanto tempo atrás/ (Mas) Sofri, chorei,cansei de soluçar", escreveu no trecho de abertura da canção 2A, que desencadeia as 13 faixas do CD, todas inéditas, comexceção de Deus lhe Pague, cunhada por Chico Buarque.O disco surge em claro contraponto a Longo Caminho, que soava um tanto cinzento, contagiado, talvez pelo período de recuperação de Herbert pós-acidente de ultraleve, em Angra dos Reis, no litoral sul do Rio, em 2001. A mulher do cantor, Lucy Needhan-Vianna, morreu no acidente. A participação de Nando Reis só veio endossar umavontade de compor juntos que se arrasta há muito tempo. "Certodia, conseguimos marcar alguma coisa. O Nando foi na casa doHerbert e saiu essa música, Pétalas", conta Bi. No caso de ManuChao, a proximidade entre Paralamas e ele fez com que o grupo sesentisse à vontade de convidá-lo a dar uma palhinha na cançãoSoledao Cidadão, de Herbert e Pedro Luis, que recebeu músicaincidental Me Llaman Calle, do próprio Manu. Com Marcelinho daLua, a idéia era dar "um molho especial", como fez na faixabônus Ao acaso Dub. "O Marcelinho é um DJ superconhecido nacena", diz Barone. "Foi tudo muito espontâneo e, quando vimos,tínhamos essa constelação especial." Além das participações, outro caso especial foi areleitura dada a Deus lhe Pague, de Chico Buarque. A cançãofora escolhida pelo público, numa votação lançada pela banda emseu site oficial, na qual os internautas podiam indicar músicasbrasileiras que gostariam de ver gravadas pelo grupo. Chegarammais de 5 mil sugestões, que, selecionadas, resumiram-se a 5. "Demos uma filtrada, porque não dava para gravar Mamãe Eu Quero(risos) e para a votação valer em cima de 5 músicas", contaBarone. As 5 foram para votação popular. Venceu Chico. "Foidesafio, pois pensamos como íamos fazer versão para uma músicatão bem escrita na versão original", lembra o baterista. Ao trio, coube ainda uma pergunta inevitável, que remetea uma ligação deles com Lula, estabelecida com a canção LuizInácio (300 Picaretas), gravada há cerca de dez anos, inspiradanuma declaração feita por Lula quando ainda deputado. Há doisanos, conta Barone, a banda foi ao Palácio da Alvorada, aconvite do presidente, numa época que eles acreditavam que o PTconseguiria mudanças efetivas no País. "Como qualquer brasileiroestamos perplexos. Todo mundo está caindo na real em relação àingenuidade do brasileiro, de acreditar que alguém vai lá eresolve os problemas, como se tivesse varinha de condão." A repórter viajou a convite da gravadora EMI

Agencia Estado,

28 de setembro de 2005 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.