Hans Klaus Techt/APA/AFP
Hans Klaus Techt/APA/AFP

Rolling Stones iniciam em Madri turnê europeia de 60 anos da banda

Antes da primeira música, vídeos de Charlie Watts foram exibidos em telões e grupo fez homenagem emocionada ao amigo

Silvio Castellanos, Reuters

02 de junho de 2022 | 13h49

Os Rolling Stones sacudiram Madri na quarta-feira, 1, com entusiasmo e um pouco de nostalgia por seu falecido baterista Charlie Watts, ao iniciarem uma turnê europeia que marca o 60.º aniversário da banda.

Cerca de 53.000 fãs no estádio Wanda Metropolitano gritaram de emoção com a entrada no palco dos membros originais da banda Mick Jagger, de 78 anos, e os guitarristas Keith Richards, 78, e Ronnie Wood, que completou 75 anos na quarta-feira.

Eles se juntaram ao baterista Steve Jordan para a turnê, intitulada SIXTY. Watts, que entrou na banda em 1963, morreu no ano passado, aos 80 anos.

"Hola Madri!" gritou Jagger, para aplausos ainda mais altos depois que a banda abriu o show com Street Fighting Man e Jagger iniciou movimentos de dança.

Logo antes da primeira música, vídeos de Watts foram exibidos em telões no palco e a banda fez uma homenagem emocionada ao amigo.

“Esta é a nossa primeira turnê europeia sem Charlie, sentimos muito a falta dele”, disse Jagger em espanhol antes de tocar Sad, sad, sad para uma multidão emocionada.

"A banda dedicou o show a ele", afirmou à Reuters o diretor de shows Patrick Woodroffe, que trabalha com os Stones há quatro décadas. "Algum tempo se passou e sentimos falta dele o tempo todo, rimos dele, falamos muito sobre ele e esta é uma maneira de celebrar sua vida em vez de lamentar."

Depois de 17 músicas, os Rolling Stones deixaram o palco apenas para retornar em resposta a uma grande salva de palmas da multidão de Madri.

A banda tocou Gimme Shelter enquanto eram mostradas a bandeira ucraniana e imagens de cidades ucranianas destruídas como uma declaração contra a guerra.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.