Rolling Stones fecham contrato para álbum com a Universal

Especula-se sobre uma possível troca de gravadora, com a crise da EMI que anuncia corte de 2 mil empregos

REUTERS

17 de janeiro de 2008 | 12h04

Os Rolling Stones assinaram um acordoexclusivo universal para lançar seu próximo álbum peloUniversal Music Group, causando especulações sobre sua possívelsaída da EMI. A EMI vem sofrendo vários golpes nas últimas semanas.Artistas importantes ameaçaram deixar a gravadora depois de seunovo proprietário, o financista Guy Hands, e seu grupo deprivate equity Terra Firma anunciarem planos para o corte de2.000 empregos. Um comunicado divulgado pelos Stones na quinta-feira disseque a banda fechou um contrato de um álbum apenas para seupróximo lançamento, previsto para chegar às lojas em março.Trata-se da trilha sonora do filme "Shine a Light", de MartinScorsese. Um porta-voz da EMI disse que o acordo cobre apenas umálbum, mas uma fonte do setor musical disse à Reuters que avigência do contrato entre EMI e Rolling Stones termina embreve e que a banda está estudando suas opções. A trilha sonora de "Shine a Light" terá lançamento físico edigital nos selos do Universal Music Group em todo o mundo. "Shine a Light" inclui imagens de dois concertos dos Stonesno Beacon Theatre de Nova York no final de 2006, que incluíramparticipações de Jack White, dos White Stripes, ChristinaAguilera e Buddy Guy. O filme também inclui cenas raras de arquivo e entrevistase imagens dos bastidores mais recentes. Os Rolling Stones são uma das maiores bandas da história dorock'n'roll, com vendas de álbuns estimadas em mais de 200milhões de unidades. Em 2005 eles iniciaram uma turnê mundialde dois anos que terminou em Londres em agosto do ano passado. A EMI anunciou na terça-feira a demissão de um terço de seupessoal e de muitos artistas. Nos últimos anos a gravadora vemenfrentando problemas devido a seu cronograma fraco delançamentos, a pirataria na Internet e a passagem para asvendas digitais.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICASTONESUNIVERSAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.