EFE
EFE

Roger Waters se reúne com líder estudantil chilena Camila Vallejo

Encontro aconteceu no Estádio Nacional, em Santiago, onde o ex-Pink Floyd fará dois shows

EFE,

01 de março de 2012 | 15h57

CHILE - O ex-líder do grupo Pink Floyd Roger Waters se reuniu com a dirigente estudantil chilena Camila Vallejo e a convidou para participar de um ensaio para os shows que fará nesta sexta-feira e no sábado em Santiago.

Camila considerou o encontro, que aconteceu na quarta-feira, como "muito importante" e destacou a figura de Waters, que ao longo de sua trajetória artística "soube explorar em sua obra musical temas políticos muito relevantes".

O encontro aconteceu no Estádio Nacional da capital chilena, que será o palco do show do artista britânico, baseado no disco The Wall.

Waters e Camila conversaram sobre os sistemas de educação chileno e britânico, entre outros assuntos, e a líder estudantil presenteou o cantor com exemplar de seu livro "Podemos cambiar el mundo", no qual conta alguns detalhes dos protestos que os estudantes de seu país fizeram no ano passado para exigir melhorias na educação.

"Eu acho que o que está acontecendo no Chile o mundo também está vivendo", disse nesta quinta Camila, atual vice-presidente da Federação de Estudantes da Universidade do Chile (FECH) à Rádio Futuro.

"O muro existe em todas as partes do mundo, e o bom é que Waters demonstrou em sua música que é possível combatê-lo e destruí-lo", acrescentou a líder estudantil, em referência a The Wall, o épico disco do artista britânico, lançado em 1980.

Na segunda-feira, em entrevista coletiva em Santiago, Waters se mostrou compreensivo com as reivindicações dos estudantes no Chile, que desde o ano passado pedem melhoria da qualidade do ensino e a gratuidade das matrículas.

"Sei que existe o sentimento de que não há oportunidades igualitárias no Chile e que o sistema de educação é ruim, por isso entendo perfeitamente o protesto dos jovens", declarou o artista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.