Rock vive fase comportada e apologia contra drogas

A apologia às drogas está cada vez maisfora do discurso público da indústria fonográfica internacional.Os efeitos do governo Bush e da crise no mercado de música sãouma nova onda comportada no rock ? uma fase em que revelardetalhes sobre o envolvimento passado com alguma delas é o"novo cool". Não basta apenas largar o vício, é preciso ir apúblico condená-lo. Ozzy Osbourne deixou os defensores dalegalização da maconha de cabelos em pé esta semana ao afirmarque o consumo da erva leva a outras drogas pesadas, enquanto oMetallica finaliza um documentário sobre a luta do vocalistaJames Hetfield contra a cocaína. Se o sexo havia virado apenas motivo de insinuação no pop com odomínio das supostas virgens da virada do milênio, amovimentação pela discriminalização da maconha continuava firmeaté pouco tempo atrás. Mas a causa perdeu, no ano passado, um deseus maiores ícones, Snoop Dogg, que chegou a fazer uma turnêchamada "Trague, Trague e Passe". O rapper participou daúltima edição do festival Smoke Out, organizado em novembropelos membros do Cypress Hill, em Los Angeles, mas não chegounem perto de um cigarro de maconha (pelo menos em público). Dogg que teve problemas com a polícia em 2002, disse ter abandonadoo consumo e fez declarações contra a droga. "Hoje sou umapessoa muito mais eficiente", disse o ex-defensor do movimentopró-legalização.Os problemas de Jack Osbourne com os barbitúricos (queresultaram em uma bem divulgada temporada do menino de 17 anosem uma clínica de reabilitação) levaram Ozzy a repensar suavisão liberal. "Uma coisa leva a outra", disse o inglês à MTVamericana. "Se você toma café, vai evoluir para o Red Bull edepois para as anfetaminas", disse. Ele e o filho aceitaramprotagonizar um programa especial do canal de música sobre oproblema do vício no relaxante muscular OxyContin.A participação de Ozzy inclui clichês antes reservados alíderes conservadores americanos, com direito a observaçõessobre a "facilidade de se conseguir drogas atualmente", a"ilusão de que não há seqüelas" para os usuários de drogas eassim por diante.James Hetfield também resolveu encarar de frente seu problemacom o álcool e a cocaína ? e a fase clean resultou em um novoálbum do Metallica que estreou no primeiro lugar da parada daBillboard. "Largar as drogas foi a coisa mais difícil quejá tiver de fazer, ao lado da paternidade", disse o cantor emseu web site. Agora, eles colocam os toques finais em umdocumentário dirigido por Joe Berlinger e Bruce Sinofsky (doaclamado Paradise Lost) que vai mostrar em detalhes a luta.Outras bandas que vêm divulgando a fase de limpeza são o Jane´sAddiction e o Project. Dave Navarro, o guitarrista do Jane´sAddiction, disse recentemente em entrevista em Nova York que abanda finalmente encontrou "sua verdadeira personalidade"desde que os integrantes deixaram as drogas para trás. "Hojesomos mais saudáveis e mais espirituais e você consegue ver issonas músicas", disse. A banda formada pelos ex-integrantes do Guns´N Roses virounotícia por conta da detenção do recém contratado vocalistaScott Weiland (ex-Stone Temple Pilots), por porte de cocaína, emLos Angeles. Eles divulgaram um comunicado dizendo quecontinuariam trabalhando com o cantor: "Todos nós já passamospor isso e conseguimos superar o problema, agora é a hora deajudá-lo." Weiland se ofereceu para passar uma nova temporadaem uma clínica de reabilitação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.