Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Rock in Rio: Tears For Fears promove um bailão da saudade

Hits nostálgicos embalam o público na terceira atração do Palco Mundo

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2017 | 00h08

De volta depois de seis anos da última turnê brasileira, o Tears for fears transformou a área do Palco Mundo num grande bailão da saudade. Casais e grupos de amigos cantaram juntos os sucessos dos anos 1980 do duo de Roland Orzabal e Curt Smith, de Everybody Wants to Rule the World, que abriu a noite, ao clímax, com Shout. O clima nostálgico prepara a grama sintética do Rock in Rio para a chegada do Bon Jovi, principal atração desta sexta-feira. 

A última vez do Tears for fears no Rio tinha sido em 2011, num outubro pós-Rock in Rio. Formado na Inglaterra no ano de 1981, o duo, que se separou em 1991 e se reuniu em 2000, agora desembarcou no festival na condição de segundo nome da noite. Tarimbados por mais de 30 milhões de discos vendidos, eles atenderam às expectativas da plateia com os hits Sowing the Seeds of Love, Advice for the Young at Heart, Pale Shelter e Head Over Heels, tocados com arranjos originais. O cover de Creep, do Radiohead, foi um ponto alto.

Everybody Loves a Happy Ending e Secret World foram pinçadas do último disco de estúdio, Everybody Loves a Happy Ending (2004) – o primeiro com os dois integrantes originais desde 1989, ano de The Seeds of Love. Break it Down Again, do álbum Elemental (1993), este feito sem Smith, e Mad World, o primeiro sucesso, de 1982, também afagaram a memória afetiva dos fãs.

"Estamos muito felizes aqui hoje com nossos amigos do Brasil", disse Orzabal, que tem origens argentinas, no começo do show, em português. Diante do mar de gente e de celulares ao alto, numa Cidade do Rock com lotação máxima, soou bem sincero.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Tears For FearsRock in RioMúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.