Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Rock in Rio: Incubus faz show certo no lugar errado

Banda fez show sólido, mas não conseguiu levantar o público dos dinossauros Guns N' Roses e The Who

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2017 | 22h44

Não faltaram clássicos. No set, canções que qualquer ex-jovem alternativo com aproximadamente 30 anos saberia cantar do começo ao fim. 

O Incubus, segunda banda a se apresentar no Palco Mundo na noite deste sábado, 23, fez um show bom e correto. A catarse esperada, no entanto, não veio. Tudo porque as  atrações seguintes seriam ninguém menos do que o The Who e o Guns N' Roses. Justificável. O público do Incubus não é o mesmo dos dois dinossauros citados acima.

A enxurrada de clássicos incluiu Anna Molly, Wish You Were Here, Love Hurts, Pardon Me e Drive. A receita perfeita para os jovens alternativos que viveram a adolescência nos anos 2000. O vocalista Brandon Boyd é afinado. O eterno galã deixa os fãs enlouquecidos com gritinhos arrebatadores.

+++ Como foi o penúltimo dia de Rock in Rio

O Incubus não é uma banda nova, foi fundada em 1991. Eles têm, ao todo, 8 discos de estúdio. O último, 8, foi lançado no começo do ano e foi co-produzido e mixado por Skrillex. Não fez muito barulho, é verdade.

O Incubus, banda de bons serviços prestados ao rock dos anos 2000, merecia melhor sorte no Rock in Rio. Talvez se o grupo tivesse sido escalado para o primeiro fim de semana do festival, com o Maroon 5, Brandon e sua trupe, que disputavam os holofotes com o The Who e o Guns, pudessem ter sido mais notados. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Rock in RioIncubus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.