Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Rock in Rio: Fergie terceiriza show no Palco Mundo

Com Pabllo Vittar e Sergio Mendes no palco, pop star demonstrou seu amor pela música brasileira, mas foi isso

Guilherme Sobota, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2017 | 00h14

RIO - Foi rápido: quem foi buscar cerveja perdeu o encontro de Fergie e Pabllo Vittar no Palco Mundo do Rock in Rio. E certamente foi de improviso: as duas dançaram com a voz de Anitta de Sua Cara, Pabllo cantou seu verso, e pronto. Os dois minutos vibrantes de um show, fora isso, monótono.

O público teve um gostinho do que seria o delírio de substituir Lady Gaga por Anitta na noite de sexta - o que, claro, não aconteceu. 

Fergie também chamou Sergio Mendes para o palco para a inconfundível Mas Que Nada - o aplauso do público jovem do Rock in Rio foi bem menos caloroso para o grande maestro... Botamos essa na conta da diferença de idade. 

Fora disso, Fergie não conseguiu animar as áreas mais afastadas do palco nem com super sucessos dançáveis como My Humps e Fergalicious. Big Girls Don't Cry foi a exceção que confirma a regra. I Got a Feeling é o tipo de hit que não precisa de uma pessoa para funcionar.

Uma diferença importante na nova nova Cidade do Rock é que o Palco Mundo agora tem mais profundidade do que largura. O clima de piquenique (milhares de pessoas sentadas no meio do caminho) também não ajuda em nada. Neste sábado, andar pelo espaço era uma tortura.

Mas se as coisas ajudassem do Palco, a experiência seria mais agradável. Não foi o caso, porque não é necessário ter visto mais do que 5 shows na vida para perceber que Fergie canta mal ao vivo: os agudos saem da sua garganta e ela simplesmente não alcança as notas mais altas. Os versos, que lhe alçaram à fama com o Black Eyed Peas, não têm flow nenhum e muitas vezes parece que ela fala sobre uma gravação. As trocas de roupa levavam uma eternidade e os vídeos dos intervalos não serviam para nada. O encerramento foi o único momento que um show de luzes arrancou aplausos. A produção sonora que lhe acompanha é insossa e sem vida.

Mas Fergie é Fergie por mais de um motivo, e havia aqui o séquito de fãs que por tabela são hipnotizados por estrelas dessa grandeza. Um álbum novo, Double Dutchess, sai na próxima sexta-feira, 22, e o sucesso é garantido. Até um próximo Rock in Rio.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.