Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Rock in Rio: Fall Out Boy entrega energia punk, candura pop e hits da adolescência

Banda de Chicago, com 16 anos de estrada, já acessa a memória afetiva daqueles com 30 anos no Rock in Rio

Pedro Antunes, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2017 | 22h32

RIO - Existe aquele lugarzinho no qual guardamos lembranças das quais às vezes sequer nos sabemos existir. Sabe? E uma música, um filme ou um livro acessam esse espaço, às vezes sem permissão, e nos carregam diretamente para um lugar no passado. 

Bandas dinossáuricas sabem como lidar com essa nostalgia à seu favor. Seus fãs, dos maduros aos mais jovens, vão aos seus shows para resgatar momentos desse baú. 

O curioso é quando se percebe que alguma banda já é antiga o suficiente para acessar esses buracos das lembranças. O Fall Out Boy chegou a esse ponto. Principalmente para os jovens, a geração sub-30 presente na Cidade do Rock, no Rock in Rio, nesta quinta-feira, 21. Com 16 anos de existência, o grupo liderado por Partrick Stump (voz e guitarra) e Pete Wentz (baixo) acerta justamente na nostalgia. 

Porque são as canções que entraram em alta rotação na extinta MTV brasileira, em meados dos anos 2000, a grande força da apresentação do grupo de Chicago. É quando eles acertam na mixologia, energia punk adoçada por uma candura pop e uma voz pouco ameaçadora de Stump. 

Nesse ambiente, ou desse drink adocicado, chegam Dance, Dance e This Ain't a Scene, It's a Arms Race, por exemplo. Ambas provocam uma catarse naqueles que estão lidando com a dura chegada dos 30 anos. Revisitam momentos de fossa ou euforia da adolescência. Nem sempre desejados. Ainda assim, a excitação é inevitável. 

Em contrapartida, falta à banda constância. Os altos e baixos da discografia impedem que o grupo mantenha o nível da performance. Momentos morosos são um pecado em uma apresentação guiada por guitarras de hardcore cuja função primordial é manter as cabeças voando ao ritmo da bateria. 

Com isso, resta ao Fall Out Boy se regozijar da nostalgia. E é ótimo eles terem chegado a esse nível, mas ainda é cedo demais para depender somente disso. 

Tudo o que sabemos sobre:
Fall Out BoyRock in Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.