Rock in Rio: bandas nacionais de fora

Cinco bandas entre as mais populares do rock nacional escaladas para o Rock in Rio 3 - Raimundos, Skank, Jota Quest, Cidade Negra e Charlie Brown Jr. - cancelaram suas apresentações no evento, que será realizado em janeiro de 2001.A debandada ocorreu em solidariedade ao O Rappa, que desmarcou sua apresentação no festival na semana passada, alegando estar sendo desprestigiado em relação às atrações internacionais, como Sting, James Taylor e Guns N´ Roses."A organização se mostrou despreparada nas negociações. Fomos escalados para abrir apresentações do que eles chamam de grandes músicos. Nos colocaram no segundo escalão", protesta Ricardo Queiroz, empresário dos Raimundos.Segundo Queiroz, Roberto Medina, proprietário da Artplan e organizador do evento, lhe garantiu que resolveria esse problema. Mas, dois dias depois, conta ele, Alexandre Santos, empresário de O Rappa, foi convidado a deixar o festival por não concordar em tocar às 18h, na abertura de um show internacional."A saída de O Rappa do festival provocou uma espécie de corrente de solidariedade entre as outras bandas escaladas. "Fiquei revoltado e marquei uma reunião com os empresários do Cidade Negra, Skank, Charlie Brown Jr. e Raimundos para deixar clara nossa insatisfação", conta Ricardo Chantilly, empresário do Jota Quest."Decidimos cancelar as apresentações e a organização pouco se importou. Os organizadores acham que estão fazendo um favor ao darem a oportunidade de tocarmos no evento", reclama Chantilly."Ele acham que este é um festival decisivo para o futuro de nossas bandas", completa Queiroz, que ainda diz que o cachê oferecido para as bandas nacionais "foi ridículo"."Eles ofereceram R$ 20 mil para cada grupo. Descontando todos os gastos que temos com produção e com o pagamento da equipe técnica, sobrariam R$ 3 mil para serem divididos entre mim e os quatro integrantes dos Raimundos", conta Queiroz.A organização do Rock in Rio ainda tenta renegociar a apresentação das seis bandas no evento, mas seus empresários dizem que não voltarão atrás. "Os empresários do Sepultura e do Barão Vermelho já disseram que também ficarão solidários com a gente", diz Queiroz. Os responsáveis pelos dois grupos não foram encontrados.Grevistas sem causa - Beth Garcia, da assessoria do Rock in Rio, diz que a organização do evento lamenta a crise. "Esperamos que eles voltem atrás. Agiram como grevistas sem causa. Eles querem ir para o palco à noite, pois acham que não poderão utilizar dos aparatos de iluminação à tarde. Mas como o palco foi projetado em formato de concha, os efeitos da iluminação serão os mesmos, seja qual for o horário."Por causa desses problemas com o elenco nacional, o Rock in Rio anunciará só amanhã o restante das atrações. Já estão confirmadas as presenças de Gilberto Gil, Milton Nascimento, Daniela Mercury, Jair Rodrigues, Luis Melodia, Márcio Montarroyos, o trio Sá, Rodrix e Guarabira, Tom Zé, Pepeu Gomes, Nação Zumbi, Titãs e Sandy & Júnior. As atrações internacionais confirmadas por enquanto são Sting, James Taylor, Guns N´ Roses, a banda Five e Aaron Carter, o irmão mais novo do Back Street Boy Nick Carter.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.