Rock in Rio acerta acordo com Ecad

A organização do festival Rock in Rio Por Um Mundo Melhor acaba de informar que acertou um "acordo definitivo" com o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição de Direitos Autorais) e que não tem mais qualquer pendência de direitos autorais com o órgão. Segundo a assessoria de imprensa do festival, foi antecipado o pagamento dos direitos autorais - os organizadores não revelaram quanto foi pago. Fica garantida assim a venda de ingressos para o espetáculo, que estava proibida por liminar de um juiz da 33.ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Os ingressos serão vendidos a partir de sexta-feira em diversos postos-de-venda pelo País. Haverá postos credenciados nas Lojas Renner, Banco Itaú e Banerj e Postos BR. Também serão vendidos ingressos em quiosques espalhados pelos seguintes shoppings: MorumbiShopping e Iguatemi (SP), BarraShopping, Rio Sul, Norte Shopping, Madureira Shopping e Shopping 45 (Rio de Janeiro). Há também a opção de compra pelo telefone (0800-21-2001, que só começa a atender na sexta) e via Internet (www.rockinrio.americaonline.com.br). O ingresso custará R$ 35,00 por noite, e, em média, o espectador terá mais de 20 shows diários, somando-se as atrações da Tenda Brasil, Raízes e do Palco Mundo, além de performances e três Djs a postos na Tenda Rock in Rio Eletro. Também estará disponível um espaço VIP, com ingressos a R$ 250,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.