Rock e religião ganham atenção do astro country Glen Campbell

A nova casa de Glen Campbell em Malibu éprovavelmente parecida com a de muitos outros músicos desucesso nessa cidade litorânea habitada por ricos. Troféus Grammy na estante? Sim. Cinema particular em casa? sim. Artefatos judaicos? Sim. Espere aí. O astro country foi criado como batista, masostenta um candelabro judaico sobre sua lareira e um livro emhebraico numa mesinha de café. Para intensificar a confusão intercultural, o "RhinestoneCowboy" começa a cantar "Jeee-sus ... me ajude a encontrar meulugar especial". Não é um hino, nem uma oração. É um verso de uma cançãoantiga da banda de rock dos anos 1960 Velvet Underground. "Jesus" é uma das faixas do primeiro álbum lançado em 15anos pela Capitol Records pelo cantor semi-aposentado de 72anos, "Meet Glen Campbell" (chegará às lojas em 19 de agosto),em que ele canta covers de canções do U2, Green Day, JohnLennon e Foo Fighters, entre outros. Campbell revela que ele e sua mulher, Kim, frequentam asinagoga local aos sábados e celebram os feriados judaicos,como Páscoa, Rosh Hashanah e Hanukkah, mas também comemoram oNatal. JUDEUS MESSIÂNICOS Campbell e sua mulher são há 20 anos seguidores do judaísmomessiânico, movimento religioso cujos integrantes se consideramjudeus, mas que são vistos por outras denominações judaicascomo essencialmente cristãos evangélicos. "Somos judeus que acreditamos que Cristo é o salvadorrenascido", explicou Campbell. Tudo isso é muito distante da Igreja de Cristo, a pequenaigreja batista frequentada por sua família na zona rural doArkansas quando ele era criança. Os instrumentos musicais eram proibidos na igreja e oscantos eram terríveis, então o jovem Glen e seus amigos iam àsescondidas à igreja dos negros, "que nos deixavam olhar pelajanela. Era incrível. Sinto saudades disso". Em sua nova igreja, cantam-se canções de todos os tipos,mesmo algumas em hebraico, que são um desafio para os Campbell. Foi muito mais fácil para Glen Campbell cantar o rock de"Good Riddance (Time of Your Life"), do Green Day, "Times LikesThese", dos Foo Fighters, e "All I Want Is You", do U2, tantoque ele gravou o novo álbum em apenas três semanas. O trabalho pesado foi feito pelo produtor do álbum, JulianRaymond, que, atendendo a pedido da Capitol, fez a proposta aCampbell e seu empresário e escolheu as canções. Raymond recorda que Campbell vinha ao estúdio depois de umapartida de golfe, fumava um charuto, gravava uma canção evoltava para casa. À primeira vista, o projeto lembra um pouco a ressurreiçãode Johnny Cash nos anos 1990, quando o produtor Rick Rubinapresentou o ídolo country, então semi-esquecido, a um públicomais jovem e antenado, com uma série de álbuns sombriosincluindo versões enxutas de canções de bandas de rock comoNine Inch Nails e Soundgarden. Mas Glen Campbell não está pensando em voltar com força aocenário musical. Ele vem dando algumas entrevistas e talvezfaça alguns shows especiais. Mas nada que atrapalhe seu jogodiário de golfe no Malibu Country Club às 8 da manhã. Quanto a fazer outro álbum -- "francamente, não quero pegarem seu pé para fazer mais nada", disse Raymond.

DEAN GOODMAN, REUTERS

12 de agosto de 2008 | 11h42

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAGLENCAMPBELL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.