Rock cresce na Grã-Bretanha e toma espaço do tecno

As vendas do rock voltaram a crescer. Na Grã-Bretanha, o gênero retomou em 2002 a maior fatia do mercado, 31%, contra 30% do rótulo pop. Revistas e lojas de instrumentos acompanharam a procura e passaram a apontar um renascimento - mais um - do rock, no embalo de bandas-revelação como The Darkness, Franz Ferdinand, Kings of Leon e, a queridinha do momento, White Stripes."Lançamos uma revista para amantes do rock no ano passado, a Uncut, e hoje ela é uma das mais vendidas do gênero da Grã-Bretanha e vende muito bem no exterior também", contou à BBC Tim Brooks, da editora IPC Ignite, a mesma do prestigiado semanário New Musical Express. Enquanto isso, as vendas de guitarra aumentaram 30% nos últimos dois anos, conforme a Associação das Indústrias Musicais (AIM) da Grã-Bretanha. No mesmo período, a procura por contrabaixos cresceu 11%.Ao passo que o rock retoma a liderança do mercado britânico, a cultura clubber parece esfriar, recuando de 34% do mercado em 1991, seu auge, para 14,5%, no ano passado. O recuo foi tal que muitas das gigantes casas noturnas dedicadas ao tecno foram reformadas para servir a um número menor de pessoas.As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

Agencia Estado,

23 de janeiro de 2004 | 12h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.