Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Roberto Medina e Zé Ricardo criam musical para o Rock in Rio 2022

O Uirapuru fala sobre amor e felicidade e reforça o pilar “Por Um Mundo Melhor” do festival

Redação, O Estado de S. Paulo

29 de março de 2022 | 22h00

Produzido pelo time criativo do Rock in Rio, criado por Roberto Medina e direção com musical de Zé Ricardo, o espetáculo Uirapuru, um musical de 25 minutos que tem produção de Charles Möeller e Claudio Botelho. O  “Uirapuru”, conta a fábula de um passaro que realiza desejos de quem ouve seu canto. Uma história que fala de amor e de felicidade a partir de um jovem guerreiro que se apaixona pela filha de um cacique. Um amor proibido, pois eles não podem se casar e ele se transforma em um pássaro para que possa cantar e acompanhar os passos de sua amada. 

Para Medina, o Uirapuru chega para quebrar os paradigmas e reforça que o Rock in Rio não é apenas música, mas também leva experiências variadas para o público. “Ha muitos anos não oferecemos apenas shows de música. Vamos muito além, somos procurados pelas experiências que as pessoas buscam viver. Os shows estão ali, a música está ali, mas oferecemos mais. E o Uirapuru é uma prova disso. Quem passar por este espetáculo será impactado pelo que esperamos para o futuro. Uma conversa de amor, feita de pessoas para pessoas e que exala felicidade. Isso é o Rock in Rio”, afirma Medina.

Para dar vida a este musical, o diretor Zé Ricardo compôs uma trilha sonora especial. A “Sou Uirapuru” foi gravada pela orquestra de Heliópolis, de São Paulo, e contou com nada menos que 70 músicos regidos pelo maestro Edilson Ventureli.

Os diretores dos famosos musicais “Cole Porter – Ele Nunca Disse Que Me Amava”, “Wicked”, “Hair” e “A Noviça Rebelde” entre muitos outros, capricharam nesta produção e seguiram a risca o pedido de Medina.

Um filme com versões de 3 e 1 minuto, contará o início de toda a criação do espetáculo Uirapuru. A partir de croquis, a animação do pássaro Uirapuru e uma conversa intimista com Roberto Medina, Zé Ricardo, Charles Möeller e Claudio Botelho. A orquestra de Heliópolis finaliza este material com um total de 70 músicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.