JB Neto/AE
JB Neto/AE

Roberto Carlos canta o amor em 3D

Cantor recebeu amigos, celebridades e fãs no lançamento do bluray 3D de 'Roberto Carlos em Jerusalém'

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2012 | 12h01

Não importa se é em 3D ou em 4D, o amor é sempre o mesmo e velho amor, disse o cantor Roberto Carlos ontem à noite, num cinema na Zona Sul de São Paulo, ao lançar o bluray 3D Roberto Carlos em Jerusalém. O produto é talvez o mais longevo da grife do "Brasa". Desde setembro do ano passado, o show de Roberto, exibido como especial da TV Globo, vem dando filhotes - chegou a ocupar o espaço do show de final de ano do cantor, em reexibição na própria Globo.

Agora, foram lançadas 300 mil cópias de um CD (com as 22 músicas do set list do show) e um DVD pela Sony Music. O bluray em 3D teve sua exibição para convidados ontem à noite, numa luxuosa sala de um shopping paulistano, com a presença do cantor, da apresentadora Hebe Camargo, dos cantores Daniel, Roberta Miranda, Lucas (Fresno), Zizi e Luiza Possi e outras celebridades."É um óculos? Pensei que era chocolate, já ia comer!", brincou Hebe Camargo com seu óculos 3D, que chegou pouco antes da sessão e foi muito assediada (jornalistas gritavam "diva!" para a veterana apresentadora). 

Embora tenha assistido à sessão incólume, escondido num canto, Roberto Carlos só apareceu para falar com a imprensa pouco antes da meia-noite, trajando um coletinho escuro por cima da indefectível roupa azul e aparentando imbatível bom humor. Deu entrevistas para o pessoal do CQC e para Otávio Mesquita, tirou foto com Nalva Aguiar e fãs, e como sempre ignorou os repórteres que queriam saber se estava preparado para produzir alguma coisa inédita nos próximos meses. "Uma das grandes emoções que eu vivi foi fazer esse show em Jerusalém", disse.

Roberto Carlos pretende fazer do seu happening em Jerusalém um paradigma de megaconcertos para exilados em diversos locais do mundo - seu empresário, Dody Sirena, diz que o recomeço será na Itália, em 2013, em cidade ainda a ser anunciada ("Provavelmente litorânea, mas não Veneza"), com a inclusão do repertório em italiano do cantor, que participou de duas edições do festival de San Remo. Há ainda intenção de levar Roberto ao Central Park (Nova York) e também à Turquia, Grécia, Portugal, Índia e até ao Tibete. Ele também anunciou que, no ano que vem, Roberto deve fazer um show gratuito no Rio de Janeiro, em lugar ainda a ser anunciado.

Quanto à nova turnê internacional, que começa em Lima, no Peru, no próximo dia 26, Roberto disse: "Eu não sei se vai ter alguma coisa diferente. Faço o que faço sempre. De diferente tem os lugares, as pessoas".

O blu-ray com o show de Jerusalém é tecnicamente bem-feito, as paisagens da Terra Santa ganham belo destaque, mas não foge do roteiro do mesmo especial já exibido pela Globo, com os cacoetes emocionais de Glória Maria, os textos já consagrados, a estrutura rígida de TV. 

Poderia ter sido feita uma nova edição com o clima externo ao concerto, a peregrinação dos fãs desde os kibutz de brasileiros e desde os rincões do Brasil, a circunstância externa. É uma facilidade industrial, embora os fãs devam pensar o contrário.

Tudo o que sabemos sobre:
Roberto Carlosmúsicashow

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.