Roberto Carlos canta <i>Negro Gato</i> em ritmo de funk carioca

Na madrugada desta terça-feira, 13, cercado de popozudas, exibindo os braços marombados e disposição incomum para a farra, o antes recluso cantor Roberto Carlos fez uma dobradinha com o MC Leozinho, a bordo do navio de cruzeiro Costa Fortuna. Resultado: o ´Rei´ apresentou uma releitura inédita de um dos seus maiores sucessos da época da Jovem Guarda, a canção Negro Gato, de Getúlio Cortes, gravada em 1966, em ritmo de pancadão. Roberto, de 67 anos, subiu ao palco de Leozinho por volta das 2h50 da madrugada, quando já tinha encerrado seu próprio show no teatro do navio. Leozinho estava cercado de dançarinas de funk, e Roberto demonstrou especial apreço por uma delas, Grace Kelly, que ele beijou demoradamente. Depois, atacou Se ela Dança, Eu Danço, hit do funkeiro. Os dois continuaram juntos em Negro Gato, a surpresa da noite. "Obrigado, Leozinho, por trazer a alegria para cá, para o mar", disse Roberto. Leozinho, pouco antes do show, demonstrava entusiasmo pelo fato de que o convite para cantar no navio "não partiu de gravadora, não foi nenhuma armação: ele próprio me chamou", referindo-se ao rei. A platéia, a maioria de mais idade e com pouca intimidade com o funk, impacientou-se antes da apresentação e pedia para que o publico mais animado se sentasse. Mas Leozinho conclamou todo mundo a dançar e ajudou a quebrar o gelo daquele que seria o mais desanimado baile funk de sua carreira. Logo após cantar com Roberto, mais da metade do público rumou para suas cabines ou para as maquinas caça-níqueis do cassino do navio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.