Robbie Williams entra em greve para protestar contragravadora

Músico lidera grupo de artistas que se recusam a trabalhar desde que EMI foi vendida

BBC,

11 de janeiro de 2008 | 12h52

O cantor britânico Robbie Williams vai entrar em greve em protesto contra a gravadora EMI, de acordo com o jornal britânico The Times.   O músico, que vendeu 70 milhões de disco pela EMI, está liderando um grupo de artistas que se recusam a trabalhar, desde que a gravadora foi comprada pela empresa Terra Firma.   Os artistas foram influenciados pela greve dos roteiristas norte-americanos que parou as produções de Hollywood.   De acordo com o jornal, o cantor está segurando o lançamento do próximo álbum, que estava previsto para setembro.   O empresário do cantor, Tim Clark, disse ao The Times que Robbie Williams não quer lançar o disco pela gravadora.   "Nós não temos idéia de como a EMI vai vender e promover o álbum. Eles não têm ninguém na esfera digital capaz de realizar o trabalho necessário."   Robbie Williams quer seguir o exemplo do grupo Radiohead e liberar as músicas novas para os fãs através da internet.   Outros artistas   O Coldplay também pode parar de trabalhar. O empresário do grupo disse ao The Times que estava analisando as opções depois que o diretor de música da EMI saiu da empresa nesta semana.   A banda Radiohead e o ex-Beatle Paul McCartney já saíram da gravadora.   A participação da EMI no mercado fonográfico britânico, já prejudicada pelo downloading de músicas da internet, caiu de 16% para 9% em 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAROBBIEWILLIAMSEMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.