Rob Halford está de volta ao Judas Priest

Uma das mais intrigantes histórias dorock ganha um novo capítulo. O sonho do vocalista da banda coverque conseguiu ficar no lugar de seu ídolo chega ao fim: o JudasPriest resolveu dispensar o vocalista Tim "Ripper" Owens,adotado pelo grupo em 1996, para readmitir Rob Halford, quecantou nos tempos de glória. A história de Owens inspirou ofilme Rock Star, com Mark Wahlberg e Jennifer Aniston. Osintegrantes da banda anunciaram uma turnê mundial e um álbumpara 2004, na tentativa de resgatar a fama na onda do revival doheavy metal.Toda a trajetória do Judas Priest foi marcada pela substituiçãode integrantes. Formada em 1969 em Birmingham, na Inglaterra, abanda começou tendo Alan Atkins nos vocais. A entrada de Halford, em 1972, marcou o início do crescimento do grupo - que já tevevários bateristas diferentes. A segunda metade dos anos 70, como lançamento dos discos Sad Wings Of Destiny, Sin AfterSin, Stained Class, Killing Machine e o ao vivo Live- Unleashed In The East, viu o aumento consistente da base defãs deles.Os anos 80 foram o auge. A década trouxe os elogiados discosBritish Steel e Point Of Entry e os nem tanto Turboe Ram it Down. A banda virou pivô de um escândalo por contado suicídio de dois fãs, em 1985, supostamente inspirados pelasmensagens subliminares da música Better By You, Better ThanMe. O pesadelo só acabou em 1993, quando foram absolvidos.Halford deixou a banda nessa época. O Judas Priest já haviaperdido o espaço no rock com a invasão grunge e o cantor, quehavia passado uma temporada no Black Sabbath, resolveu investirem projetos próprios. É aí que começa o conto-de-fadas de Tim"Ripper" Owens, um garoto do interior dos Estados Unidos quetrabalhava em um escritório durante o dia e comandava a bandacover British Steel nos fins de semana. Ele acabou sendoconvidado para ir a Londres fazer um teste e ganhou o sonhadolugar do ídolo.Owens participou da gravação dos discos Jugulator, de 1997,e Demolition, de 2001. A base reduzida de fãs aprovou otrabalho do americano - mas o mainstream ficou sabendo mesmo dahistória do cantor por conta do filme lançado em 2000. Tambémganharam as páginas da imprensa fofoqueira os desentendimentos eas complicações financeiras que Owens teve com os produtores dafita (ele diz ter sido passado para trás e alega não terrecebido um tostão pelos direitos da história).Assim como de um dia para o outro Owens virou o cantor de suabanda preferida, ele perdeu o posto sete anos depois. De acordocom o comunicado dos integrantes originais do Judas Priest, osubstituto foi informado há poucos dias de que Halford iriavoltar ao grupo. Segundo a versão oficial, ele aceitou tudo"como um gentleman". Se o público obviamente prefere o vocalista original a um substituto, Owens tem o mérito de ter ajudado a manter o legadodo Judas Priest vivo nos anos 90. A volta de Halford, associadaao resgate do interesse no rock pesado de arena, pode dar vidanova à banda em 2004. Owens vai ter de amargar o fato de queficou mais conhecido pelos detalhes de sua trajetória do quepelo seu impacto musical. Mas nada impede que ele venha a teruma brilhante carreira no circuito dos reality showsamericanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.