Ritmo dançante no novo CD para crianças

Há poucos meses, Sandra Peres e Paulo Tatit comemoraram os dez anos da criação de seu selo Palavra Cantada. Agora, os compositores lançam seu décimo título, Pé com Pé, com shows, oficinas de dança e até um bailinho infantil na matinê, de quinta a domingo no Sesc Pinheiros. Não por coincidência, é o tempo em que a música feita para criança no Brasil galgou muitos degraus em termos de qualidade, sensibilidade, inteligência, bom humor, poesia e diversidade rítmica.Além da poética lúdica, Sandra e Tatit sempre tiveram o cuidado de criar uma cozinha rítmica interessante e trazer para o universo infantil ritmos inusitados como bumba-meu-boi, maracatu, congada. Agora eles vão mais fundo na questão. A idéia do projeto, o primeiro CD duplo do selo, "é apresentar para as crianças esse elemento básico e oculto de toda a música: o ritmo", resumem os autores. Ijexá, samba-reggae, lundu, coco, caboclinhos, batuque de umbigada, partido alto, moçambique fornecem células rítmicas sobre as quais Sandra e Tatit fazem suas sutis experiências, com instrumentos convencionais, inusitados (como chifre de antílope) e texturas eletrônicas. Para Sandra, Pé com Pé é o terceiro projeto mais importante do selo. Os outros foram Canções de Ninar (1994) e Canções do Brasil (2002). "O primeiro marcou a criação da Palavra Cantada, havia toda uma expectativa colocada ali. Em Canções do Brasil foi quando a gente foi se realimentar de outras influências e também perceber o que as crianças do Brasil estavam ouvindo", avalia a compositora, cantora e instrumentista. "Ali viemos tomando contato com toda essa diversidade rítmica e percebemos a relação da criança com o canto, a dança e a percussão." O trabalho atual é o primeiro do selo que conta com patrocínio (da Petrobras), o que vai permitir que 5 mil exemplares sejam distribuídos para ONGs e escolas públicas. Para criar Canções do Brasil Sandra e Tatit percorreram os 26 Estados brasileiros recolhendo ritmos e canções infantis. Pé com Pé é o reverso dessa experiência. "Estamos devolvendo para as crianças muitos dos ritmos que elas tocaram para nós e que nos inspiraram", diz Sandra. Há diversas participações no CD: o grupo baiano Lactomia, de Salvador, os paulistas do grupo Batuntã, crianças da ONG Associação Querubins, de Minas, o Hip Hop Roots, da Bahia. Entre os adultos, o tarimbado e genial grupo mineiro Uakti e a banda do coreto de São Luiz do Paraitinga (interior de São Paulo).Além dos habituais Zé e Luiz Tatit, Edith Derdyk e Arnaldo Antunes (que fez a ilustração da capa do CD), Sandra e Paulo Tatit arrebanharam agora a poeta Alice Ruiz (co-autora da bela e espacial Sol Lua Estrela), o compositor Péricles Cavalcanti (não menos sensível em Toda Criança Quer) e a dupla Paulo Santos (do Uakti) e Ana Lúcia Braga, autores de Estica Dobra. Há letras de protesto (Bolacha de Água e Sal), terror (Taquaras), sobre respeito e reverência (Vovô), Eco, Bicicleta, disciplina e dedicação ("Balé"), a presença tempestuosa da orixá Iansã (Oiá). Se no centro das atenções desta vez está o ritmo, não é por isso que as letras estão menos interessantes, até porque elas também fazem parte da expressão dele. Todas as faixas de Pé com Pé têm textos do pesquisador Paulo Dias, com um breve histórico de cada ritmo. Quem conhece o estilo da Palavra Cantada sabe que isso não significa tédio. Ao contrário, é um preparativo para a festa. E é este o atrativo dos eventos que vão rolar em torno do lançamento do CD. O show é bem diferente daquele que percorreu os CEUs no ano passado. A força agora, claro, é na percussão. Além das novas canções, Sandra e Tatit vão cantar sucessos como Sopa, Criança não Trabalha e Rato, com novos arranjos. No mingau dançante vai ter DJ tocando remixes de todas as músicas novas e dos hits, monitores de dança, globinho espelhado e tudo o mais. Como se sabe que grande parte do público da Palavra Cantada é de adultos, não será estranho se alguns barbados aparecerem por lá para tomar o espaço dos pequenos, gritando na pista: "Que que tem na sopa do neném?" Palavra Cantada - Sesc Pinheiros. Rua Paes Leme, 195, Pinheiros, 3095-9400. Shows: Quinta-feira, 15h; sexta, 15h e 21h; sábado e domingo, 18h. R$ 5 a R$ 10 Oficina de Dança: Quinta-feira, das 14h às 16h e sábado, das 11h às 13h. R$ 3 a R$ 6. Mingau Dançante: Sábado e domingo, 15h. Grátis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.