Jordan Strauss/Invision/AP
Jordan Strauss/Invision/AP

Rihanna se recusa a cantar no Super Bowl em apoio ao jogador Colin Kaepernick

O quarterback se ajoelhou durante o hino nacional dos EUA contra a brutalidade policial direcionada à população negra

Ansa

19 Outubro 2018 | 10h37

A cantora Rihanna recusou o convite de se apresentar no intervalo do Super Bowl, que será realizado em fevereiro do ano que vem. Segundo a revista US Weekly, o ato foi em solidariedade ao jogador Colin Kaepernick, que está sem time desde que protestou por questões raciais em 2016.   

O quarterback, que defendia o San Francisco 49rs, se ajoelhou durante a execução do hino nacional dos EUA contra a brutalidade policial direcionada à população negra. Desde então, ele não jogou mais e até apresentou queixa contra a liga de futebol acusando-os de conspirar para mantê-lo fora de campo.   

O Super Bowl é um jogo do campeonato da principal liga de futebol americano dos Estados Unidos, a NFL, e a partida que encerra a temporada sempre reserva um grande show de intervalo.   

Após a recusa de Rihanna, a NFL convidou a banda Maroon 5 para se apresentar na final.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.