Revista <i>Rolling Stone</i> comemora seu 40.º aniversário

A revista Rolling Stone está tratando a comemoração de seu 40.º aniversário com seriedade.Um ano atrás, a publicação de música comemorou sua milésima edição com uma edição dupla voltada à diversão e uma grande festa. Agora, porém, seu fundador e editor Jann Wenner está mais reflexivo, enquanto se prepara para lançar a primeira de três edições comemorativas do 40.º aniversário.A primeira delas chega às bancas na sexta-feira, 20. Intitulada Por Onde Andamos, ela acompanha o progresso da geração dos baby-boomers por meio de entrevistas como gente como Bob Dylan, Mick Jagger, Paul McCartney e Steven Spielberg, além de integrantes da chamada "geração silenciosa", como Jack Nicholson e o ex-presidente Jimmy Carter.A segunda edição, que deve chegar às bancas em junho, focaliza o chamado "verão do amor" de 1967, pano de fundo do lançamento da revista, que aconteceu em San Francisco. A série será completada em novembro, com uma edição em que artistas e outros vão tentar prever o futuro.A terceira edição especial pode coincidir com algum tipo de evento para promover a Rolling Stone, mas Wenner disse que ainda não sabe o que poderá ser. Bob DylanWenner entrevistou Dylan para a edição Por Onde Andamos, viajando para Amsterdã para reunir-se por duas horas com o enigmático cantor que já foi tema de 14 matérias de capa da Rolling Stone.Os dois se conhecem desde 1969, 18 meses depois de Jann Wenner ter lançado a Rolling Stone, com John Lennon em sua capa. Naquela época o editor novato não parava de solicitar um bate-papo com Dylan, e finalmente foi recompensado com uma entrevista em um hotel de Nova York.Hoje, pode-se afirmar que Wenner, de 61 anos, é tão famoso quanto alguns dos roqueiros que são tema de sua revista. Além dos perigos normais do envelhecimento, ele sente que ainda tem o mesmo ânimo e energia de 40 anos atrás - e um pouco mais dinheiro.Ele lamenta pouca coisa. Uma entrevista com Frank Sinatra foi oferecida à revista, mas provavelmente não teria acontecido de qualquer maneira.E Wenner poderia ter se tornado um dos homens mais ricos do planeta se, anos atrás, tivesse aceitado vender a revista à MTV em troca de 25% das ações do canal de música, então incipiente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.