Reuters
Reuters

Resultados de autópsia de George Michael são 'inconclusivos'

De acordo o jornal britânico Daily Mail, músico teria deixado três álbuns prontos com canções inéditas

Ansa Flash

30 Dezembro 2016 | 14h37

A polícia britânica afirmou nesta sexta-feira, dia 30, que os resultados da autópsia que foi feita no corpo do cantor George Michael, que morreu no dia de Natal, 25, "não são conclusivos" e "mais testes" deverão ser feitos para determinar a causa da morte do músico.

"A causa da morte é inconclusiva e mais testes agora serão realizados. É improvável que os resultados desses testes sejam conhecidos for várias semanas", disse em um comunicado à imprensa a polícia de Thames Valley. Michael morreu no último domingo (25) em sua casa em Oxfordshire, no norte da Inglaterra, e seu corpo foi encontrado pelo seu namorado, Fadi Fawaz, antes do almoço de Natal.

Na última terça-feira (27), o jornal "Daily Telegraph" havia dito que a morte do cantor teria sido causada por uma overdose de heroína citando uma fonte próxima do britânico. George Michael é considerado um dos astros do pop dos anos 1980.

Entre os seus grandes sucessos estão os singles "Careless Whisper", "Wake me Up before You Go-Go", "I Knew You Were Waiting" e "Freedom!90".

Obra inédita. De acordo com informações do jornal britânico Daily Mail, George Michael teria deixado três álbuns prontos com canções inéditas. Segundo a reportagem, o músico, perfeccionista, "passou anos trabalhando em cada disco, mas decidiu que não estavam prontos para serem lançados”. 

 

Mais conteúdo sobre:
George Michael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.