Repertório de clássicos para Alcione

São rolos e rolos de fitas, etiquetadas e emparelhadas em estantes com atrativos para qualquer apreciador de música se entreter por meses e meses. Ainda leva tempo não só para descobrir todo o conteúdo, mas para restaurar as fitas e, num segundo passo, legalizar o lançamento em CD. "Este é apenas o início de uma pesquisa", diz Murilo Pontes, gerente artístico e de marketing da Eldorado. Alcione é a primeira da lista do grande catálogo de obras inéditas gravadas pelo Estúdio Eldorado. E, segundo Pontes, para que seu CD saia, falta pouco: a autorização da cantora. A previsão de lançamento é para junho. "Ela adorou a idéia, sempre teve vontade de recuperar essas gravações." Este, gravado no início dos anos 80, é um dos muitos registros curiosos do programa FM Inéditos. A idéia era apresentar cantores e instrumentistas interpretando temas fora de seu repertório habitual. Às vezes nem tanto. Fafá de Belém, por exemplo, cantou músicas de compositores paraenses, bolero tradicional e clássicos como Pra Machucar meu Coração, de Ary Barroso. Ivan Lins misturou canções autorais, entre sucessos e pérolas de seu lado B, com outras das duplas Tom Jobim/Vinicius de Moraes e Luiz Soberano/Paquito. O acervo ainda tem Milton Nascimento se acompanhando ao piano, em temas contundentes do início da carreira: Canção do Sal, Vera Cruz, Outubro. Wagner Tiso tocando Bill Evans, Toquinho transitando entre Errol Garner e Augustin Lara, Rosinha de Valença dedilhando jóias rurais como Cabocla Jurema, Cuitelinho e Asa Branca. Há muito mais: Tom Zé, Simone, Leci Brandão, Nelson Sargento. Não é à toa que Alcione se empolgou. Cantora que raras vezes, em mais de 30 anos de carreira, fez um disco inteiro com repertório à altura de sua qualidade vocal, aqui ela é luxo só. Canta em francês (Ne me Quitte Pas, de Jacques Brel), inglês (Yesterday, de Lennon & McCartney, e The Shadow of Your Smile, de Webster e Fain), italiano (Love Story, de Francis Lai). Entre melancólicas canções de Chico Buarque, Milton Nascimento e o suingue de Jorge Ben, tem muita dor de cotovelo em forma de samba dolente do vasto cancioneiro de Lupicinio Rodrigues, Nelson Cavaquinho, Dolores Duran, Noel Rosa, Ary Barroso, Baden Powell e Vinicius de Moraes. Essa voz tamanha merece.

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2006 | 12h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.