´Rei´ Roberto Carlos inicia curta temporada de fim de ano

São apenas quatro shows no Credicard Hall, alguns deles com setores inteiros já esgotados (para o sábado, por exemplo, só sobram entradas para a platéia superior). E olha que o preço não é tão acessível: entre R$ 50 e R$ 180. Sim, é ele de novo, Roberto Carlos Braga, de 65 anos, soberano entre os cantores populares do Brasil, 50 anos de carreira. Segundo contou ao jornal carioca Extra seu empresário, Dody Sirena, Roberto começa amanhã o desembarque anual nos corações e mentes (e bolsos) dos brasileiros. Até dezembro, por exemplo, serão lançadas as duas últimas caixas da coleção Pra Sempre, com 28 discos internacionais gravados pelo cantor e compositor ao longo da carreira. E ele prepara um CD em duetos com vários artistas para o fatídico Natal, só que ninguém sabe muito mais a respeito (nem se ficará pronto a tempo). O especial de TV que o cantor faz todo ano para a Rede Globo, e que geralmente é realizado em São Paulo, este ano será gravado no Claro Hall, no Rio de Janeiro, segundo sua assessoria de imprensa. Em janeiro, ele vai a Madri, Espanha, determinado a gravar durante um show um disco e um DVD com repertório inteiramente em espanhol. "O lançamento será voltado para o mercado latino-americano", diz Sirena. Carreira começou aos 9 anos Segundo conta seu biógrafo, Okky de Souza, Roberto tinha apenas 9 anos quando, sua mãe, dona Laura, sugeriu que ele cantasse na Rádio Cachoeiro de Itapemirim, prefixo ZYL-9, no programa matinal infantil de Jair Teixeira, apresentando naquele dia por Marques da Silva. Cantou o bolero Amor y más Amor, sucesso de Fernando Borel. Desde então, vendeu mais de 90 milhões de discos, tornou famosas suas excentricidades e manias (nunca usa marrom e roxo, detesta o número 13), fez o papa João Paulo II chorar na frente de uma multidão no Rio. E é a trilha sonora de paixões, amores e desilusões amorosas há mais de quatro décadas. A base do show que ele apresenta esta semana no Credicard Hall não tem nada de muito novo - nem ninguém espera dele uma revolução. A apresentação é fundada no CD que ele lançou no ano passado, cujas novidades são as gravações de Arrasta uma Cadeira, dele e de Erasmo Carlos, que ele gravou com a dupla Chitãozinho e Xororó; e Loving You, de Elvis Presley. Além dessas, há a reinterpretação de Índia. Quando Roberto interpreta seus maiores e mais esperados sucessos, como Emoções, Detalhes, Cavalgada, Outra Vez ou Eu te amo, te Amo, te Amo, ele geralmente justifica com seu jeito de extrema simplicidade. "Dizem que eu canto as mesmas coisas, mas nem sempre as mesmas coisas têm o mesmo sentido. E eu sei que vocês gostam muito dessa canção". Roberto Carlos. Credicard Hall. Av. Nações Unidas, 17 955, telefone 6846-6010. 5.ª e 2.ª, 21h30; 6.ª e sáb., às 22 horas. Até 23/11

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.