REUTERS/Gilbert Bellamy
REUTERS/Gilbert Bellamy

Reggae é escolhido Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco

Ritmo jamaicano deu 'contribuição à reflexão internacional sobre questões como injustiça, resistência, amor e condição humana', segundo a entidade

EFE

29 Novembro 2018 | 09h33

NAIRÓBI — O reggae, ritmo jamaicano popularizado por músicos como Bob Marley, foi declarado nesta quinta-feira, 29, Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco.

"A sua contribuição à reflexão internacional sobre questões como injustiça, resistência, amor e condição humana destacam a força intelectual, sociopolítica, espiritual e sensual deste elemento do patrimônio cultural", explicou a organização em comunicado.

A Unesco anunciou a decisão na sua reunião de Port Luis (Ilhas Maurício), onde examina esta semana várias candidaturas para sua Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

A Unesco destacou que o reggae "conserva intacta toda uma série de funções sociais básicas da música — veículo de opiniões sociais, prática catártica e religiosa — e continua sendo um meio de expressão cultural do conjunto da população jamaicana".

A organização da ONU lembrou que esse gênero musical surgiu de uma "amálgama de antigos ritmos musicais jamaicanos e de outros de origens muito diversas: caribenhos, latino-americanos e norte-americanos".

Em todos os níveis do sistema educacional do país, acrescentou, "está presente o ensino desta música, desde o jardim de infância até a universidade". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.