Fábio Maurício/Divulgação
Fábio Maurício/Divulgação

Refrão de música e bordão da TV, Cride morre em São Carlos

Euclides Gomes dos Santos tinha 88 anos e foi amigo de infância de Ronald Golias, a quem serviu de inspiração

Rene Moreira, Especial para O Estado

12 Junho 2015 | 10h45

Franca - Ele serviu de inspiração para a música Televisão, do Titãs, e antes disso virou bordão na Praça da Alegria, antigo humorístico de TV. Euclides Gomes dos Santos, o "Cride", morreu nesta semana aos 88 anos de idade em São Carlos, cidade do interior paulista em que vivia desde criança e onde conviveu com o amigo Ronald Golias, também já falecido.

Foi o humorista, ainda em início de carreira na TV, que deu notoriedade ao amigo. Os dois costumavam sair para procurar latinhas e outros objetos nas ruas para vender e ganhar dinheiro visando comprar doces e balas. Mas a mãe de Euclides logo ficava gritando pelo apelido para que o filho voltasse para casa. Foi daí que Golias teve a ideia do bordão "O Cride, fala pra mãe!".

A frase ficou na memória da TV e também se tornou refrão de música de rock. A composição é dos anos 80, mas foi somente no ano passado que Cride conheceu pessoalmente os Titãs, autor da citação, durante um show em São Carlos.

Euclides Gomes dos Santos nasceu em Araras (SP), mas mudou de cidade ainda criança para ser vizinho de Golias, que morreu em 2005. Já Cride faleceu no último domingo, 7, vítima de uma parada cardiorrespiratória ocasionada em razão de uma leucemia, doença que enfrentava há cerca de um ano. Seu corpo foi enterrado na segunda-feira, 8, no Cemitério Nossa Senhora do Carmo, em São Carlos.

Mais conteúdo sobre:
Cride

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.