Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Recém-casados querem benção de Ozzy no show do Black Sabbath em Porto Alegre

Cerca de 30 mil aguardam a estreia da turnê brasileira do grupo britânico, que se apresentará ainda em São Paulo e no Rio

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2013 | 19h32

Já está quase cheio o local do primeiro show da atual turnê da banda Black Sabbath em Porto Alegre, uma arena ao ar livre montada no estacionamento da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) um local semelhante à Arena Anhembi, em São Paulo. Cerca de 30 mil pessoas verão esta noite a estreia (com o núcleo original) de uma das maiores bandas de rock da História (o grupo já veio à capital gaúcha em 1991, mas sem Ozzy Osbourne).

Durante o show, os recém-casados Gloria Akemi e Thiony Trenti, que veio do município de Luis Eduardo Guimarães, na Bahia, para celebrar sua união com as bênçãos de Ozzy Osbourne (ou as maldições), dava entrevistas e posava para fotos no meio da multidão. Vestidos de noivos, esperam que o grupo faça alguma menção ao seu ritual durante o espetáculo.

O frisson em torno da vinda da formação original do grupo que está na origem do heavy metal não teve ressonância comercial entre os cambistas, que vendiam ingressos a preços semelhantes aos oficiais (entre R$ 200, pista comum, e R$ 500, pista premium). O ingresso Full Pack, de R$ 780, que dá acesso a uma área super-VIP, permite ao fã mais abastado acalentar o sonho de tirar uma foto com os ídolos em um encontro minutos antes de entrarem no palco. Mas estava fraca a entrada para a área super-privada. O Black Sabbath só chega a Porto Alegre poucas horas antes do show, e deve deixar a cidade logo após o concerto.

O show será aberto dentro de alguns minutos pela banda local Hibria (uma lei municipal obriga os eventos realizados em Porto Alegre a escalarem uma atração nacional na abertura, sob pena de uma pesada multa). Em seguida, Dave Mustaine e seu Megadeth farão o abre-alas para Ozzy (vocalista, 64 anos), Tony Iommi (guitarrista, 65 anos), e Geezer Butler (baixista, 64 anos) mostrarem o som que gestou uma revolução cultural nos quatro cantos do mundo. O baterista Bill Ward desertou da reunião pouco antes da gravação do disco 13, seu novo trabalho (que já vendeu 100 mil cópias no Brasil). No lugar dele, toca Tommy Clufetos, convidado por Ozzy.

Amanhã, o Black Sabbath se apresenta em São Paulo, depois no Rio de Janeiro (dia 13) e Belo Horizonte (dia 15).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.