Reuters
Reuters

Rapper Mos Def recebe autorização para deixar África do Sul após pedido de desculpas

Músico foi preso em janeiro ao tentar sair do país com um 'passaporte mundial', que o país africano não reconhece

Joe Brock, Reuters

22 Novembro 2016 | 16h30

JOAHNESBURGO - O rapper norte-americano conhecido como Mos Def recebeu permissão para deixar a África do Sul nesta terça-feira, 22, depois de ter pedido desculpas por violar as leis de imigração.

O artista - cujo nome verdadeiro é Yasiin Bey - foi preso em janeiro ao tentar sair do país com um "passaporte mundial", que a África do Sul não reconhece como documento de viagem legal.

Bey, que mora na Cidade do Cabo desde 2013, será declarado "persona non grata" por suas ações e não terá permissão de entrar novamente no território sul-africano, informou o Departamento de Assuntos Internos.

"Ele se desculpou sem reservas ao governo da África do Sul", disse o setor em um comunicado. "O departamento está satisfeito com as desculpas (e) irá retirar as queixas contra ele".

O passaporte mundial é um documento emitido por uma organização sem fins lucrativos chamada World Service Authority (WSA), criada nos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial para defender a cidadania mundial.

Citando o direito de liberdade de movimento da Organização das Nações Unidas (ONU), a entidade vem emitindo tais passaportes desde 1954. Muitos países o recusam, seja como documento de viagem seja como identidade formal, mas a WSA afirma que nações como Togo, Mauritânia, Equador, Zâmbia e Tanzânia já aceitaram a identificação anteriormente.


 

Mais conteúdo sobre:
Música

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.