Drew Hallowell/Getty Images/AFP
Drew Hallowell/Getty Images/AFP

Rapper Meek Mill é libertado da prisão depois de meses de campanha

Seu caso, que se tornou uma causa de músicos e atletas foi visto por defensores de reformas da justiça criminal como emblemático de um sistema legal injusto

Reuters

26 Abril 2018 | 09h27

O rapper norte-americano Meek Mill, que ficou preso durante cinco meses devido a uma violação de condicional, foi solto de uma prisão da Pensilvânia na terça-feira, 24, depois que o principal tribunal do Estado lhe concedeu uma fiança, informou seu advogado, no desfecho de uma campanha apoiada por muitos astros que pediam a soltura.

A Suprema Corte da Pensilvânia ordenou que um tribunal inferior libertasse o autor de All Eyes on You e lhe concedesse uma nova audiência devido a “problemas de credibilidade de um policial que foi uma ‘testemunha fundamental’” em suas condenações por porte de armas e drogas em 2008, como mostraram documentos da corte.

“Gostaria de agradecer a Deus, minha família e todos os meus defensores públicos por seu amor, apoio e encorajamento durante esta época difícil”, disse Meek Mill no Twitter.

“Embora os últimos cinco meses tenham sido um pesadelo, as orações, visitas, ligações, cartas e manifestações me ajudaram a me manter positivo”, acrescentou.

 

 

Meek Mill, cujo nome verdadeiro é Robert Williams, foi condenado em novembro a uma pena de dois a quatro anos em uma prisão estadual por violações de condicional relativas à sua condenação de 2008.

Seu caso, que se tornou uma causa de músicos, atletas e celebridades, como o comediante Kevin Hart e o também rapper Jay Z, foi visto por defensores de reformas da justiça criminal como emblemático de um sistema legal que dizem tratar minorias injustamente e impor punições muito rígidas.

Mais conteúdo sobre:
música Meek Mill

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.