Rap já conquistou o cotidiano da periferia

O rap é mais do que destaque na programação do fim de semana. É a música que fala da cidade - que a cada dia a consome mais - e também uma das vertentes da cultura hip-hop, movimento que trouxe, entre outros, o break dance e a arte dos grafites. O rap ainda não conquistou grande espaço nas FMs, mas é está cada dia mais presente no cotidiano dos jovens das periferias brasileiras. Neste fim de semana, com a apresentação do rapper Xis, inicia-se o projeto Hip-Hop - Cultura na Rua, promovido pela secretaria estadual da Cultura. Xis também estará no programa Música na Rua, idealizado pela gravadora Trama e transmitido pelo Canal 21, direto do Parque do Ibirapuera, sábado e domingo. Os dois eventos são gratuitos.O Música na Rua ocorrerá em meio a quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Skate Profissional, já que os skatistas são aficcionados do gênero. Amanhã (22), apresentam-se os rappers Piá, do Rio Grande do Sul, Possemente Zulu, Camorra e Criminal D, de São Paulo. Sábado, será a vez de Xis, Potencial 3 e Possemente Zulu.O projeto Música na Rua, que começou a ser transmitido pelo canal 21 no dia 17 de junho, tem o propósito de divulgar principalmente artistas da Trama. A gravadora montou um palco móvel, sustentado por uma estrutura de oito caminhões, que leva música para as mais diversas praças, seja dentro dos campus universitários ou nos conjuntos habitacionais da cidade. Segundo o gerente de eventos da Trama, Vagner Garcia, a meta é não segmentar os gêneros. "Estamos levando atrações diversificadas, passando pelo samba dos Demônios da Garoa e pela música eletrônica do DJ Ram Science", conta. "Mas com certeza, o rap chama mais público", admite.O rapper Xis mostrou seu cartão de visita à elite na recente edição do Video Music Brasil, da MTV. O clipe da sua música Us Mano e as Mina ganhou na categoria rap. Mas o sucesso de Xis e sua capacidade de verbalizar o pensamento da periferia vão além disso. Ele não é artista da Trama. Fez apenas uma parceria com a gravadora para a distribuição do CD "Seja Como For", gravado em 1999 e produzido pelo DJ dos Racionais MC´s, KL Jay.Xis é da zona leste de São Paulo. Teve a sua primeira gravação na coletânea Consciência Black Vol. 2 pelo selo Zimbabwe, em 1992. Depois, como integrante do grupo DMN, lançou Cada Vez Mais Preto, em 1994. Há oito anos, ele tem estado nos principais eventos do hip-hop, como festival Duloco 99 - Cultura Hip-Hop em Festa, que trouxe os veteranos dessa manifestação artística nascida nas ruas, no embalo de Grandmaster Flash e Afrika Bambaataa.Xis ainda abre o projeto Hip-Hop - Cultura na Rua, da secretaria da Cultura do Estado, às 16 horas, na praça Dilva Gomes Martins (praça do Morcego), em Itaquera. Além dos shows, os eventos prevêem apresentações de break e mostras de grafite. Os próximos serão na Praça da República, Piscinão do Jabaquara, Largo do Sacomã, Praça Jowa Rural, Praça do Samba (Taboão da Serra), Praça da Moça (Diadema) e próximo à Escola de Samba Vai-Vai (Bela Vista). Hip-Hop - Cultura na Rua. Apresentação do rapper Xis. Sábado, às 16 horas. Praça Dilva Gomes Martins (Itaquera)Música na Rua. Sábado, com os grupos Criminal D, Camorra, Rumbora e outros; e domingo, participação do rapper Xis. Sábado e domingo, a partir das 13 horas. Parque do Ibirapuera/Portão 3(no estacionamento)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.