Rádio Nacional vai reabrir o palco

Palco de apresentações memoráveis para a música brasileira nos anos 40, o auditório da Rádio Nacional, no 21º andar do edifício A Noite, no centro do Rio, voltará à cena cultural carioca dentro de seis meses. No dia 3 de maio do ano que vem, uma festa com a presença de estrelas dos velhos e dos novos tempos marcará a reinauguração do famoso espaço e a retomada dos programas ao vivo. As obras começam no fim de novembro.A reabertura do auditório, que em vez de 500 terá agora 154 lugares, é a parte mais comemorada da reformulação pela qual a Rádio Nacional está passando, com investimento de R$ 1,7 milhão da Petrobrás. Só para a compra de um transmissor digital com 50 kilowatts de potência, estão reservados R$ 500 mil. O edital de licitação fica pronto em poucos dias, segundo o novo diretor da Rádio Nacional, Cristiano Menezes.Atualmente restrita a um alcance que não chega a toda a cidade do Rio, equipamentos "jurássicos", como diz o diretor, e instalações precárias, a Rádio Nacional (número 1130 no dial da AM) também terá nova programação. Ao longo do dia, pequenas inserções revelarão cantores independentes. "Eles vão se apresentar: ?muito prazer, sou fulano de tal?, e mostrar uma música, no meio da programação normal. Também teremos uma cobertura de esporte mais abrangente, não só de futebol, um jornalismo local bastante intenso, serviços de atendimento ao cidadão", promete Menezes.Criada em 1936, a Rádio Nacional pertenceu ao grupo jornalístico A Noite até ser estatizada em 1940, durante o governo autoritário de Getúlio Vargas. Com o nacionalismo como lema e tornada pública, passou a contratar alguns dos maiores nomes das artes do País e chegou ao topo da audiência na antiga capital federal. Não só os programas musicais, mas também novelas e noticiários, como o Repórter Esso, atraíam a atenção do público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.