Rádio e internet superaram CD em receita para músicos

Os produtos físicos, como CD e DVD, tiveram 11% menos rendimento que em 2006 para britânicos

Efe

22 de maio de 2008 | 12h23

Os músicos britânicos ganharam mais em rádio e televisão e downloads de músicas pela internet do que com vendas de CDs pela primeira vez na história em 2007, anunciou nesta quinta-feira, 22, a Aliança MCPS-PRS, que administra os direitos de propriedade intelectual do setor musical do Reino Unido. A Aliança arrecadou 562 milhões de libras (R$ 1,844 milhões) no ano passado de todos os seus clientes, entre eles emissoras de rádio e de TV, provedores de internet e gravadoras. O rádio e a TV, juntamente com a internet, lucraram 155,5 milhões de libras (R$ 510 milhões), 8% a mais do que em 2006, com crescimento significativo de downloads, cujo faturamento cresceu 54% liderado pela plataforma iTunes. No entanto, a MCPS-PRS disse que a receita procedente da internet, 10 milhões de libras (R$ 32 milhões), ainda continua tendo um peso pequeno no total do grupo. Os produtos físicos, como CD e DVD, que sempre tinham sido a maior fonte de receita para os músicos do país, foram responsáveis por 151,8 milhões de libras (R$ 495 milhões), 11% a menos do que no ano anterior. A Aliança afirmou que a forte queda na venda de CDs foi compensada em parte pela comercialização de outros produtos físicos, como memórias USB com músicas gravadas. As emissões de canções em lugares públicos, como bares e lojas, representaram 133,6 milhões de libras (R$ 436 milhões), 10% a mais, enquanto a utilização da música britânica fora do Reino Unido contribuiu com 121,2 milhões (R$ 397 milhões) de libras, também 10% a mais. "Muito se escreveu sobre o estado da indústria musical, mas esses resultados mostram a boa saúde do setor, com aumento de faturamento em quase todas as áreas", afirmou o executivo-chefe da Aliança MCPS-PRS, Steve Porter. Porter destacou que prevê que o crescimento do setor continuará este ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.