REUTERS/Kamil Krzaczynski
REUTERS/Kamil Krzaczynski

R. Kelly chora e nega acusações de abuso sexual: 'fui queimado vivo'

À emissora CBS, rapper americano deu sua primeira entrevista após deixar a prisão

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2019 | 10h56

O cantor americano R. Kelly, de 52 anos, acusado de abusar sexualmente de quatro mulheres, sendo três menores de idade, deu sua primeira entrevista após deixar a prisão. À jornalista Gayle King, da emissora CBS, o rapper negou todas as acusações, chegando a se emocionar e até mesmo alterar o tom de voz, quando pressionado. 

“Sejam novos, antigos ou atuais, esses boatos não são reais”, disse R. Kelly, que será julgado em audiência marcada para o próximo dia 22. “Fui queimado vivo, mas ainda estou vivo”. A entrevista completa será divulgada pela CBS na manhã desta quarta-feira, 6, nos Estados Unidos. 

O dono do sucesso I Believe I Can Fly, que em 2008 foi absolvido em um processo envolvendo pornografia infantil, ainda negou enfaticamente as acusações trazidas pelo documentário Surviving R. Kelly (Sobrevivendo a R. Kelly, em tradução livre). A produção apresenta depoimentos de mulheres abusadas pelo cantor, que incluem cárcere privado e um culto sexual. 

Surviving R. Kelly estreia no Brasil em 15 de março, no canal fechado Lifetime. 

Tudo o que sabemos sobre:
R. Kelly

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.