REUTERS
REUTERS

R. Kelly, cantor de 'I Believe I Can Fly', perde canal no YouTube após condenação por tráfico sexual

Cantor foi condenado por comandar um esquema ilegal ao longo de décadas, usando sua influência como astro do R&B

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2021 | 11h38

O cantor R. Kelly, conhecido principalmente por conta de seu sucesso I Believe I Can Fly, perdeu seus dois canais no YouTube nesta quarta-feira, 6. A decisão ocorre logo após a condenção por tráfico sexual de mulheres e menores de idade.

Agora, quando alguém tenta acessar as páginas oficiais do músico na plataforma, é exibida a mensagem de que "a conta foi encerrada por uma violação dos Termos de Serviço".

Em resposta aos questionamentos da agência de notícias Bloomberg, o YouTube disse que as contas foram removidas "de acordo com as diretrizes de responsabilidade" e que "as ações cometidas por R. Kelly garantem penalidades além das medidas de execução padrão da plataforma devido ao potencial de causar danos. Por fim, estamos tomando essa atitude para proteger nossos usuários".

Assim, a partir de agora, R. Kelly não poderá mais usar, possuir ou criar canais no YouTube com seu nome. Ainda assim, porém, as músicas do norte-americano, natural de Chicago, continuam sendo oferecidas em serviços de streaming, incluindo do YouTube.

Condenação de R. Kelly

A condenação de R. Kelly aconteceu em setembro de 2020, quando o cantor foi considerado culpado, no tribunal federal de Nova York, pelo crime de tráfico sexual. Promotores acusaram o cantor de R&B de fazer uso de sua fama por mais de 25 anos para atrair mulheres e meninas menores de idade para o seu entorno com fins sexuais.

Jurados no tribunal federal do Brooklyn deliberaram por pouco mais de um dia antes de votarem pela condenação de Kelly, de 54 anos, em todas as acusações que ele enfrenta após um julgamento que durou 5 semanas e meia. Kelly manteve sua cabeça abaixada enquanto o veredito era lido, com seu rosto protegido por uma máscara branca. Uma mulher que assistia de uma sala de escuta chorou enquanto o veredito era lido.

Deveraux Cannick, advogado de Kelly, disse a jornalistas do lado de fora do tribunal que a defesa estava "desapontada". A audiência de sentença de Kelly foi marcada para o dia 4 de maio de 2022./COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.