EFE/ Valentin Flauraud
EFE/ Valentin Flauraud

Quincy Jones recebe homenagem no Festival de Jazz de Montreux

Aos 85 anos, o produtor musical recebeu uma medalha e uma placa de prata da cidade suíça

Reuters

30 Junho 2018 | 15h38

O lendário produtor musical norte-americano Quincy Jones foi homenageado nesta sexta-feira no Festival de Jazz de Montreux, evento anual no qual trabalhou como codiretor na década de 1990 e continua tendo participação regular.

Jones, de 85 anos, recebeu uma medalha e uma placa de prata da cidade suíça, declarando que um salão foi renomeado em sua homenagem, conforme o festival de duas semanas começava com uma apresentação de John Cale.

“Com certeza é bom estar de volta em minha segunda casa. Isto parece como família, isto é minha família”, disse Jones, que venceu 27 prêmios Grammy, à plateia na House of Jazz, um novo local para 600 pessoas.

“Minha alma está sorrindo”, disse, usando um boné azul de beisebol escrito “Universidade do Gueto” e sentado após ter sido acompanhando à sala em uma cadeira de rodas.

+ Quincy Jones, um Shakespeare da modernidade

“Montreux sempre foi o Rolls Royce de todos os festivais, eu digo para todo mundo”, disse Jones.

Jack White, Nick Cave e Jamie Cullum se juntam ao Massive Attack e ao roqueiro Iggy Pop na 52ª edição do festival, onde a programação eclética também inclui hip hop e música eletrônica, disseram os organizadores em abril.

Jones —produtor do álbum mais vendido de Michael Jackson, “Thriller”, de 1982— trabalhou como coprodutor com o fundador do festival, Claude Nobs, de 1991 a 1993, levando Miles Davis e outros artistas ao famoso palco.

“Ele é um grande embaixador do jazz”, disse o diretor do festival, Mathieu Jaton, ao público.

PATROCINADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.